Última hora

Em leitura:

Guterres a um passo de se tornar secretário-geral da ONU


mundo

Guterres a um passo de se tornar secretário-geral da ONU

António Guterres será o próximo secretário-geral das Nações Unidas.

O antigo primeiro-ministro português venceu e evitou qualquer voto contra dos membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, com poder de veto, na sexta votação para ser indicado o próximo secretário-geral das Nações Unidas.

Na presença de todos os embaixadores, o representante russo fez o anúncio.

“Hoje, depois da sexta votação, temos um claro favorito e o seu nome é António Guterres. E decidimos realizar um voto formal amanhã de manhã, às 10, e esperamos que possa ser feito por aclamação. Amanhã haverá voto por aclamação e desejamos boa sorte ao senhor Guterres no desempenho das funções de secretário-geral das Nações Unidas nos próximos cinco anos”, anunciou Vitali Churkin.

O comunicado das Nações Unidas por ser lido aqui

Depois de cinco votações em que os votos dos 15 membros eram indiscriminados, os votos dos membros permanentes (China, Rússia, França, Reino Unido e Estados Unidos) foram destacados pela primeira vez, ficando visível algum em caso de veto.

Para o antigo Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados ser formalmente recomendado à eleição na Assembleia Geral, o Conselho de Segurança precisa de adotar a resolução com pelo menos nove votos a favor e nenhum veto.

António Guterres venceu as cinco primeiras votações para o cargo, que aconteceram a 21 de julho, 05 de agosto, 29 de agosto, 09 de setembro e 26 de setembro.

O primeiro ministro português, António Costa, já felicitou Guterres.

A candidata búlgara, Kristalina Georgieva, que foi apresentada candidata há poucas semanas e era uma séria rival, também já transmitiu os parabéns ao português.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Guerra infindável no Afeganistão