Última hora

Em leitura:

Mini-crash passageiro da Libra nos mercados asiáticos


mercados

Mini-crash passageiro da Libra nos mercados asiáticos

ALL VIEWS

Clique para descobrir

A libra esterlina deu um mergulho de mais de seis por cento, em apenas dois minutos, na abertura dos mercados asiáticos. Este mini-crash levou a moeda britânica a atingir novamente mínimos de 30 anos face ao dólar americano. A quebra pode ter sido provocada por um “dedo nervoso” ou por um erro de apreciação das palavras do presidente francês pelos algoritmos que gerem as transações automáticas.

François Hollande referiu num discurso em Paris, na quinta-feira à noite, que se os britânicos desejam um Brexit duro, então “é necessário levar até ao fim a vontade dos britânicos em sair da União Europeia”. O chefe de Estado gaulês sublinhou um imperativo de firmeza, caso contrário são os princípios da União Europeia que serão colocados em xeque.

Além das questões políticas, o valor da moeda britânica joga-se também no tabuleiro da especulação financeira.

Para Michael Hewson da CMC Markets, a libra poderá descer ainda mais face ao dólar, sobretudo porque se fala que a Reserva Federal americana irá subir as taxas de juro em dezembro, uma tendência em alta que poderá pressionar a Libra Esterlina.

O valor da moeda britânica também pode estar a ser influenciado pela tensão entre o executivo e o Banco de Inglaterra depois da primeira-ministra Theresa May criticar, na quarta-feira, a sua política de estímulos monetários quantitativos.

O Banco de Inglaterra afirmou que está a investigar as causas do incidente. Pouco depois do mini-crash a libra regressou quase ao nível inicial.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

mercados

EasyJet anuncia perdas de 25% para este ano