Última hora

Última hora

Cada vez mais republicanos abandonam Trump e pedem que se retire

Donald Trump enfrenta esta noite o segundo debate presidencial com um número crescente de deserções, ao mesmo tempo que se multiplicam os apelos no campo republicano para que abandone a corrida à Casa

Em leitura:

Cada vez mais republicanos abandonam Trump e pedem que se retire

Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump enfrenta esta noite o segundo debate presidencial com um número crescente de deserções, ao mesmo tempo que se multiplicam os apelos no campo republicano para que abandone a corrida à Casa Branca.

Um dos últimos republicanos de renome a abandonar o candidato foi o senador John McCain, ex-nomeado do partido para as presidenciais de 2008, que afirmou que “não há desculpas para o comportamento ofensivo de Trump”, garantindo que o magnata não contará com o voto dele, nem da mulher.

A mais recente polémica acerca das declarações indecorosas sobre mulheres feitas por Trump em 2005 levou também a ex-secretária de Estado republicana Condoleezza Rice a afirmar que ele “não deve ser presidente” e “deve retirar-se” da corrida.

O líder republicano da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, declarou-se “enojado” pelos comentários controversos do magnata. Mais de seis dezenas de figuras proeminentes do partido emitiram comunidados a condenar as declarações de Trump e mais de 20 pediram mesmo que abandone a candidatura.

Mitt Romney, ex-governador do Massachussets e candidato do partido em 2012, declarou-se “ofendido pelo que foi dito e feito por Trump, que é degradante para as mulheres, filhas, netas e gerações futuras”.

O próprio “braço direito” do candidato, o nomeado republicano para a vice-presidência Mike Pence, distanciou-se de Trump, afirmando que “não pode defender” as polémicas declarações. Ao mesmo tempo, um número crescente de figuras no partido defendem que Pence assuma a posição do magnata como candidato presidencial, apesar de Trump ter garantido, este fim-de-semana, que não vai retirar-se.