Última hora

Última hora

Reino Unido: Desvalorização da libra pode penalizar o consumo e fazer subir os preços

No mercado cambial, a libra vive dias difíceis e a pressão não deverá baixar nos próximos tempos.

Em leitura:

Reino Unido: Desvalorização da libra pode penalizar o consumo e fazer subir os preços

Tamanho do texto Aa Aa

No mercado cambial, a libra vive dias difíceis e a pressão não deverá baixar nos próximos tempos.

Esta terça-feira, a divisa britânica chegou a cotar-se abaixo de 1,23 dólares. É o valor mais baixo desde 1985, se não tivermos em conta o “flash cash”, a forte queda, na passada sexta-feira.

Em relação ao euro, vale cerca de 90 cêntimos.

A desvalorização da libra é benéfica para as exportações, para o turismo e para a competitividade. Mas, torna as importações mais caras e agrava o défice da conta corrente.

“Para quem se encontra no setor industrial e tem de importar componentes a fragilidade da libra é um grande problema”, estima o analista Jeremy Batstone-Carr.

No rescaldo do referendo de junho, os britânicos continuaram a consumir normalmente, mas a tendência poderá inverter-se.

A queda da libra vai implicar um aumento dos preços, por exemplo, do combustível, da alimentação e do vestuário, e tornar as viagens ao estrangeiro mais caras.

“Vai levar um certo tempo até que os consumidores sejam afetados e vai fazer-se sentir de duas formas. Vai assistir-se a uma subida dos preços, tendo em conta um aumentos dos preços das importações devido a uma libra fraca, e vai haver uma queda da confiança”, adianta Daniel Vernazza, economista do Unicredit.

A queda da libra impulsiona os rendimentos das empresas viradas para as exportações. No entanto, investir no Reino Unido tornar-se menos rentável e atrativo, já que os investidores receiam mais desvalorizações cambiais e a perda de acesso ao mercado único, quando se concretizar o Brexit.

Um aumento da inflação vai baixar os rendimentos dos britânicos, no Reino Unido, mas também dos pensionistas a viverem no estrangeiro.

No entanto, para o antigo governador do banco de Inglaterra, entre 2003-2013, Mervin King, a desvalorização da divisa é bem-vinda: “Durante a campanha do referendo alguém disse: O verdadeiro risco do Brexit é a subida das taxas de juro, a queda dos preços do imobiliário e as taxas de câmbio baixas. Pensei: ‘estás a sonhar’, é o que tentamos fazer há três anos. Agora temos a oportunidade de o conseguir”.

Em termos reais, as famílias britânicas poderão ter uma outra opinião.