Última hora

Última hora

Tom Dumoulin dá-se mal com aposta em fato revolucionário

Em leitura:

Tom Dumoulin dá-se mal com aposta em fato revolucionário

Tom Dumoulin dá-se mal com aposta em fato revolucionário
Tamanho do texto Aa Aa

Tom Dumoulin era um dos candidatos às medalhas no contrarrelógio nos mundiais de ciclismo em Doha, ou não tivesse ganho a prata nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, mas ficou muito aquém das expectativas.

O holandês teve uma prestação desapontante, de nada lhe valendo a ajuda das novas tecnologias. Os apetrechos para tornar as bicicletas mais leves e rápidas estão longe de ser uma novidade, mas Dumoulin foi mais longe e apostou num fato revolucionário:

“No ciclismo, especialmente no contrarrelógio, tudo se decide numa questão de segundos. Se conseguirmos fazer a mínima diferença com um fato mais rápido, pode ser a diferença que decide a corrida.”

Para fazer um fato por medida, a equipa de Dumoulin começou por construir uma réplica do corpo do ciclista em posição de contrarrelógio graças à mais moderna tecnologia 3D. Depois foi uma questão de pegar no manequim, testar diferentes tipos de tecido num túnel de vento e escolher o melhor.

A tecnologia até pode ajudar mas quando as pernas não querem, nada feito. O holandês não conseguiu melhor que a décima primeira posição a mais de dois minutos de Tony Martin.