Última hora

Em leitura:

BAT quer a Reynolds American: 43 mil milhões para gerar a maior tabaqueira do mundo


empresas

BAT quer a Reynolds American: 43 mil milhões para gerar a maior tabaqueira do mundo

A tabaqueira britânica British American Tobacco (BAT) anunciou esta sexta-feira uma oferta de 47.000 milhões de dólares (43.135 milhões de euros) para comprar os restantes 57,8% da norte-americana Reynolds American, foi hoje anunciado.

 

Uma fusão útil ao tabaco

O analista da CMC Markets Jasper Lawler explicou à Reuters que “o alcance de ambas as empresas”, a BAT e a Reynolds American, “é muito global e, de facto, nem existe muita sobreposição” de mercados. “Por isso, esta fusão pode não ser confrontada com as usuais regras de concorrência que afetam este tipo de negócios”, considera este analista, para quem “esta fusão” se revela “útil para um setor em declínio em grande parte do mundo desenvolvido e a precisar de alargar os mercados e de poder controlar um pouco mais os preços.”

Num comunicado enviado à Bolsa de Londres, a BAT, que já detém cerca de 42% da tabaqueira norte-americana e fabricante das marcas Dunhill ou Lucky Strike, explicou que a proposta de aquisição da tabaqueira Reynolds, que fabrica a marca Camel, seria estruturada numa combinação de ações e ‘cash’ [dinheiro].

Assim, a BAT pagaria 24,13 dólares em ‘cash’ e 0,5502 em ações próprias por cada título da Reynolds, valorizando cada ação da norte-americana em 56,50 dólares, mais 20% do que a cotação a que terminou em 20 de outubro. A operação equivale a 27.000 milhões de dólares em ações da BAT e 20.000 milhões de dólares em ‘cash’, indicou a BAT.

A fusão das duas empresas, que deverá ser aprovada pelo Conselho de Administração da norte-americana e dos respetivos acionistas, originará a maior tabaqueira cotada do mundo.

A BAT adquiriu uma participação de 42,2% da Reynolds em 2004 com a fusão da subsidiária norte-americana Brown & Williamson, e em 2014 investiu 4.700 milhões de dólares adicionais para manter a participação, depois da Reynolds se ter fundido com a Lorillard.

O administrador-delegado da BAT, Nicandro Durante, afirmou hoje que depois daqueles primeiros passos, a aquisição da totalidade da Reynolds é “a progressão lógica da relação e oferece a todos os acionistas uma participação numa empresa tabaqueira e de produtos de nova geração e verdadeiramente global”.

A BAT, segunda maior tabaqueira do mundo em quota de mercado, possui atualmente 200 marcas, que comercializa em cerca de 200 mercados e emprega 50.000 pessoas, enquanto a Reynolds emprega cerca de 5.000 trabalhadores nos Estados Unidos.

No comunicado, a British Imperial Tobacco também informa que nos nove primeiros deste ano a faturação aumentou globalmente 8,1% a taxas de câmbios constantes e 10,2% se se tiver em conta a recente depreciação da libra esterlina.

O volume de cigarros produzido por subsidiárias da BAT nos primeiros nove meses deste ano cifrou-se em 497.000 milhões.

Depois do anúncio desta operação, as ações da BAT na Bolsa de Londres estavam a subir 3,49%.

Texto: Lusa (MC // MSF)
Edição: Francisco Marques

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

empresas

Receitas da Daimler andam a reboque dos Mercedes Classe E