Última hora

Em leitura:

Breves de Bruxelas: fronteiras e defesa do Estado de Direito em destaque


A redação de Bruxelas

Breves de Bruxelas: fronteiras e defesa do Estado de Direito em destaque

Os líderes da NATO chegaram a acordo, em julho, para enviar milhares de soldados para a Polónia e para os Estados Bálticos, numa tentativa de reforçar as fronteiras orientais da aliança contra a Rússia.

Cem dias após a Cimeira de Varsóvia, haverá nova reunião em Bruxelas, a fim de analisar os próximos passos. O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que as nações que são responsáveis ​​por liderar os quatro batalhões – Canadá, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos – irão definir os seus planos para o início de 2017.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia diária falamos, também, do drama da migração na Europa.

As instituições europeias estão satisfeitas com a quebra acentuada do número de refugiados que chegam à Grécia, na sequência do acordo da UE com a Turquia, mas admitem que a situação ainda não é estável.

Por isso, o comissário europeu para as Migrações propôs a extensão dos controlos temporárias nas fronteiras no interior do espaço de livre circulação da União Europeia. Dimitris Avramopoulos falou, em Estrasburgo, com o nosso correspondente, Sandor Zsiros.

O programa recorda, ainda, a resolução adotada pelos eurodeputado que pressiona a Comissão Europeia a fazer mais para monitorizar as violações do Estado de Direito na União.

Finalmente, o Comissário europeu para a Economia, Pierre Moscovici, irá apresentar a sua nova proposta de tributação das empresas: a Base Tributária Consolidada Comum.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

A redação de Bruxelas

Eurodeputados propõem mecanismo para monitorizar a democracia