Última hora

Em leitura:

Mau atendimento custa à Vodafone 5,1 milhões de euros no Reino Unido


empresas

Mau atendimento custa à Vodafone 5,1 milhões de euros no Reino Unido

A empresa britânica de telecomunicações Vodafone foi multada esta quarta-feira em 4,6 milhões de libras — o equivalente a 5,1 milhões de euros — pelo regulador britânico do setor, a Ofcom. Em causa estão falhas no atendimento ao cliente.

O regulador britânico especifica que a multa resulta de duas investigações. Numa, foram identificados 10.452 clientes de cartões pré-pagos cujos carregamentos não foram devidamente creditados — estes clientes foram lesados num total de 150 mil libras — 168,2 mil euros — ao longo de um período de 17 meses. A Vodafone falhou também na rapidez com que identificou e resolveu este problema, o que aconteceu apenas depois da intervenção da Ofcom, é especificado.

Noutra investigação, o regulador descobriu que a operadora desrespeitou as regras estabelecidas para gerir as reclamações dos clientes. Os agentes do serviço de apoio ao cliente da Vodafone não estavam bem preparados para lidar e gerir de forma apropriada e em tempo útil as reclamações recebidas.

A empresa britânica admitiu as falhas e lamentou “profundamente” a ineficácia de processos e de sistemas de atendimento aos clientes, desculpando-se na questão dos cartões pré-pagos com “uma complexa migração informática” ocorrida em 2013.

A Vodafone reembolsou a maioria dos clientes afetados com uma quantia média de 14,35 libras (16 euros) por pessoa e doou 100.000 libras (112 mil euros) adicionais a organizações beneficentes para compensar os clientes que não conseguiu localizar. Para além destas medidas, a operadora terá investido ainda 30 milhões de libras (33 milhões de euros) na melhoria dos serviços de atendimento ao cliente.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

empresas

Apple encerra 2016 com menos 14.4% de lucros