Última hora

Última hora

Reino Unido: Theresa May receava as consequências do Brexit

Os líderes da UE, como é o caso de Donald Tusk, defendem que o Reino Unido não pode continuar no mercado único se não respeitar os fundamentos do espaço comum europeu, entre eles a livre circulação de

Em leitura:

Reino Unido: Theresa May receava as consequências do Brexit

Tamanho do texto Aa Aa

Revelada, uma das faces até então desconhecidas da atual primeira-ministra britânica. Durante a campanha do Brexit, Theresa May foi uma discreta defensora do “Remain”, mas uma gravação obtida pelo The Guardian revela que afinal receava uma saída do Reino Unido da UE.

A conversa terá decorrido numa reunião entre a acutal chefe do governo britânico e um grupo de banqueiros no âmbito da qual May exprimiu preocupação face à possibiidade de uma fuga das grandes empresas por causa do Brexit.

O cenário então traçado expõe uma série de contradições entre as suas posições anteriores e as entretanto assumidas enquanto o Governo. Segundo o jornal, Theresa May declarou a 26 de Maio, durante um encontro com elementos da Goldman Sachs: “Se não estivéssemos na Europa, penso que haveria empresas a interrogarem-se sobre a necessidade de desenvolver uma presença na Europa continental em vez de no Reino Unido. Portanto penso que há benefícios definitivos para nós em termos económicos [de permanecer na UE].” Esta foi uma das frases captadas pelo The Guardian .

Na semana passada, May disse numa conferência do seu Partido que está empenhada em travar a entrada de imigrantes no país e que não tem problema em assumir o argumento.

Os líderes da UE, como é o caso de Donald Tusk, presidente do Conselho, defendem que o Reino Unido não pode continuar no mercado único se não respeitar os fundamentos do espaço comum europeu, entre eles a livre circulação de pessoas.