Última hora

Em leitura:

Itália: Primeiro-ministro Renzi visita As Marcas depois dos sismos


Itália

Itália: Primeiro-ministro Renzi visita As Marcas depois dos sismos

Com Marco Lemos e ANSA

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, prometeu aos habitantes de Camerino (Macerata) e de outras localidades afetadas pelos sismos que deixaram esta semana cerca de 4 mil desalojados, que a “Itália não iria esquecer-se deles.”

Renzi visitou a região das Marcas, na costa adriática, afetada por diferentes sismos em agosto e agora em outubro. Morreram, no verão, cerca de 300 pessoas nas localidades de Amatrice, Accumoli e Arquata del Tronto.

Agora, e por enquanto, não há vítimas a lamentar.

Os sismos registados esta quarta-feira não foram tão intensos como o de 24 de agosto.

O Governo anunciou, entretanto, que vai disponibilizar 40 milhões de euros para ajudar os afetados e levar a cabo o que Renzi definiu como “uma reconstrução estrutural, tendo em contra as regras de construção antissísmica.”


Segundo um comunicado do Executivo italiano, o Conselho de Ministros aprovou a verba para que os serviços de Proteção Civil assegurem “com a brevidade e a eficiência possíveis as intervenções necessárias para ajudar as populações afetadas”.
Algumas réplicas na madrugada de sexta-feira
A agência de notícias italiana ANSA disse que havia, nas primeiras horas de sexta-feira, vários movimentos de terra assinalar, na província de Macerata:

Em Castelsantangelo sul Nera, duas réplicas de 3 e 3,1 (escala de Richter) foram registadas às 23:33 locais de quinta-feira e 01:35 de sexta-feira, respetivamente.

Nas localidades de Monte Cavallo, Fiordimonte e Castelsantangelo, foi registada uma réplica de 2,7 sentida entre as 00:09 e as 01:25 locais.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Colômbia

Colômbia adia diálogo com guerrilheiros do ELN