Última hora

Última hora

Islândia: eleições parlamentares poderão afastar do poder a coligação de centro-direita

Na Islândia, por entre chuva e ventos fortes têm lugar eleições parlamentares antecipadas após a renúncia do primeiro-ministro Gunnlaugsson, ligado ao escândalo dos paraísos fiscais, os Papéis do…

Em leitura:

Islândia: eleições parlamentares poderão afastar do poder a coligação de centro-direita

Tamanho do texto Aa Aa

Na Islândia, por entre chuva e ventos fortes têm lugar eleições parlamentares antecipadas após a renúncia do primeiro-ministro Gunnlaugsson, ligado ao escândalo dos paraísos fiscais, os Papéis do Panamá.

Point of view

A sociedade islandesa está estagnada e por isso é fundamental fazer reformas

Benedikt Johannesson Candidato, Partido Liberal "Vidreisn"

Sondagens colocam o Partido Pirata numa boa posição para afastar do poder a coligação de centro-direita no poder.

“Não vamos virar a Islândia do avesso. Apenas queremos colocar a Islândia no século 21 e vamos fazê-lo porque nos atrevemos a fazer as coisas de forma diferente” afirmou Birgitta Jonsdottir, líder e uma das fundadoras do Partido Pirata criado há quatro anos.

O Partido Pirata, juntamente com três outros partidos pretende obter mais de metade dos 63 assentos que compõem a assembleia do país.

Para outros, o importante é ter um programa credível de reformas.

“É importante porque a sociedade islandesa está estagnada e por isso é fundamental fazer reformas. E nós temos um programa”, diz Benedikt Johannesson, candidato pelo Partido Liberal “Vidreisn”.

Entre várias promessas, o Partido Pirata quer acabar com a corrupção, facilitar o acesso dos cidadãos ao processo legislativo e mesmo estudar a possibilidade de conceder asilo ao dissidente norte-americano Edward Snowden.

Cerca de 245 mil islandeses estão aptos a votar. As urnas encerram às 10 da noite, hora local. Os primeiros resultados serão conhecidos pouco depois.