Última hora

Em leitura:

Corrida à Casa Branca relançada


EUA

Corrida à Casa Branca relançada

Emails, polícia e campanha eleitoral.

As sondagens mostram que a corrida à presidência dos Estados Unidos está cada vez mais cerrada, em especial depois do diretor do FBI, James Comey, ter anunciado a reabertura do caso do correio eletrónico da antiga secretária de Estado, Hillary Clinton.

De regresso à campanha na Florida, onde perde para Trump, Clinton foi defendida pelo seu número dois.

Tim Kaine, candidato à vice-presidência, afirmou que “o comunicado do FBI foi uma movimentação sem precedentes porque acontece perto de uma eleição, o que é”, diz, “uma violação do protocolo normal do departamento de Justiça. E tanto quanto sabemos, o diretor do FBI não sabe nada do conteúdo destes emails”, sublinha.

Segunda a cadeia norte-americana ABC, o FBI já conseguiu o mandado para ler o conteúdo dos emails.

Motivada, a fação republicana de Donald Trump começa a acreditar que é possível evitar o desastre eleitoral a nove dias das eleições.

Trump aproveita o mau momento dos democratas, no Nevada explicou que “o departamento de Justiça está a lutar contra o FBI porque tenta proteger Hillary a todo o custo. Eles não protegeram os nossos generais, não tentaram proteger muitas outras pessoas”, concluiu.

Na reta final da campanha eleitoral, muito pode acontecer. Será que vão ser reveladas dados comprometedores dos emails de Clinton?

Vai a candidata democrata aguentar a vantagem 45% das intenções de voto sobre os 42% de Trump, de acordo com uma sondagem no New York Times?

Questões que serão respondidas nos próximos dias.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

mundo

Itália: Proteção Civil evoca vários milhares de refugiados após novo terramoto