This content is not available in your region

Turquia: Polícia reprime protestos contra detenções de políticos

Access to the comments Comentários
De  Nelson Pereira
Turquia: Polícia reprime protestos contra detenções de políticos

<p>A polícia turca dispersou este sábado com granadas de gás lacrimogéneo e canhões de água centenas de apoiantes do principal partido pró-curdo de oposição, o Partido Democrático dos Povos (<span class="caps">HDP</span>), que protestavam em Istambul contra as detenções de dois dirigentes, Selahattin Demirtas e Figen Yüksekdag, e uma dezena de outros deputados do partido.</p> <p>Os manifestantes dirigiam-se para a sede do diário de oposição Cumhuriyet, quando as forças policiais lhes cortaram o caminho.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="tr" dir="ltr">Gözlerimizde korkuyu göremeyecekler. Direne direne kazanacağız! <a href="https://t.co/OmQ9EVnVRX">pic.twitter.com/OmQ9EVnVRX</a></p>— <span class="caps">HDP</span> (@HDPgenelmerkezi) <a href="https://twitter.com/HDPgenelmerkezi/status/794917207197110273">5 novembre 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Protestos contra a pressão do governo contra jornalistas e políticos tiveram lugar também em Diyarbakir, a principal cidade do sudeste da Turquia, de maioria curda, onde um tribunal decidiu colocar os dois líderes do Partido Democrático dos Povos em prisão preventiva.</p> <p>As alegadas violações das liberdades individuais na Turquia motivaram este sábado manifestações nalgumas cidades europeias. </p> <p>Cerca de 6.500 curdos integraram uma marcha de protesto Em Colónia, na Alemanha, e algumas centenas manifestaram-se na capital francesa. </p> <p>Selahattin Demirtas, Figen Yüksekdag, e os dez outros deputados do partido, entre os quais o presidente do grupo parlamentar, Idris Baluken, foram detidos na noite de quinta para sexta-feira no quadro de uma investigação sobre ligações a atividades do Partido dos Trabalhistas do Curdistão (<span class="caps">PKK</span>).</p> <p>Acusado pelo regime do presidente Erdogan de ligações ao <span class="caps">PKK</span>, o <span class="caps">HDP</span> reitera estar empenhado em trabalhar para uma solução pacífica do conflito curdo.</p>