Última hora

Em leitura:

Eleições EUA: Muito mais que um duelo entre Clinton e Trump


mundo

Eleições EUA: Muito mais que um duelo entre Clinton e Trump

Custam muitos milhões de euros, dominam a agenda dos meios de comunicação durante meses e é um dos momentos deste género mais aguardados em todo o mundo. Mas ao mesmo tempo que os olhos estão postos em quem vai ocupar a Casa Branca nos próximos anos, é necessário lembrar que não são apenas as eleições presidenciais que estão a decorrer esta terça-feira nos Estados Unidos.

Existem também eleições para os membros do Congresso, constituído pelo Senado (para um terço dos 100 lugares) e pela Câmara dos Representantes (todos os 435 lugares). Neste momento, os dois são controlados pelos Republicanos.

Para além disso, há também uma série de eleições a nível local e estadual, incluindo para governadores e procuradores gerais e vários referendos.

Qual a importância das eleições para o Congresso

É óbvio que são umas eleições secundárias, em comparação com as presidenciais, mas o resultado da votação para o Congresso pode ter um grande impacto na forma como Clinton ou Trump vão conseguir cumprir as promessas eleitorais. Por exemplo, no que diz respeito à implementação das promessas a nível climático ou se vão ou não continuar a negociar o acordo de livre comércio com a União Europeia.

Os Republicanos, neste momento, têm mais 80 lugares na Câmara dos Representantes, o que lhes dá a maioria. Mas têm apenas mais oito lugares de vantagem no Senado. De acordo com os analistas, é mais provável que os Democratas consigam controlar a câmara alta norte-americana que a Câmara dos Representantes.

Se Clinton vencer vai ter de enfrentar uma dura batalha para ver aprovada qualquer legislação numa Câmara dos Representantes controlada pelos Republicanos.

E mesmo que Trump vença e o seu partido mantenha a liderança das duas Câmaras, nem tudo vai ser simples. O milionário pode ter o apoio na rejeição da reforma na Saúde do presidente Obama, por exemplo, mas vai ter uma tarefa mais complicada para arranjar dinheiro para construir o famoso muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México.

Referendos estaduais – de aborrecidos a caricatos

Aproveitando que os norte-americanos vão às urnas, em vários estados também estão a ser realizados referendo para decidir sobre questões importantes. Em muitos casos dizem respeito a impostos locais. Mas desta vez, 80 milhões de eleitores vão manifestar a opinião sobre o uso recreativo ou medicinal da marijuana.

Há ainda a votação na Califórnia sobre a proibição (ou não) dos sacos plásticos. Mas também são votados temas mais controversos como o uso de armas, o sistema de saúde universal ou o salário mínimo.

Um dos referendos mais estranhos vai ser realizado também na Califórnia deve determinar se os atores pornográficos devem ou não ser obrigados a usar preservativo.

Outras eleições a nível estadual

Como se não bastassem as eleições presidenciais e federais, alguns norte-americanos têm também de votar a nível estadual. Governadores de estado e líderes de estado de áreas não controladas pelo governo federal vão ser eleitos em doze dos 50 estados norte-americanos. Em dez deles vão ser eleitos os procuradores gerais.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Web Summit Lisboa2016: Portugal investe 200 milhões na inovação