Última hora

Em leitura:

Principais praças europeias encerram no verde


mercados

Principais praças europeias encerram no verde

As bolsas europeias recuperaram da derrocada quando foi conhecida a vitória de Donald Trump nas presidenciais norte-americanas e as principais praças financeiras do velho continente acabaram por encerrar a valorizar 1% ou mais, como foi o caso de Londres, Frankfurt, Paris ou ainda Zurique.

Do outro lado do Atlântico, Wall Street negociava ao final da tarde no verde, mas mantém-se volátil.

Um analista da Meridian Equity Partners explica que a volatilidade na bolsa de Nova Iorque só será “preocupante” se a pressão sobre o mercado se prolongar por muito tempo. “Neste momento, o que se assiste é apenas a variações saudáveis”, afirmou.

A volatilidade promete continuar nos próximos tempos, enquanto não se tiver uma ideia mais concreta dos projetos de Donald Trump para o futuro.

Segundo outro analista, o triunfo de Trump, “para os mercados é um ‘déjà-vu. É um ‘brexit 2.0’ e serão necessários alguns dias ou talvez semanas até que o resultado (das eleições) seja digerido”.

Em contraciclo com a maior parte da Europa, a bolsa de Lisboa encerrou a sessão a desvalorizar 1,47%, com destaque para a EDP Renováveis, que recuou 5,7%, uma consequência da vitória de Trump nos Estados Unidos, onde o presidente eleito promete dar menos atenção às energias renováveis.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

mercados

Mercados reagem à vitória de Trump e abrem no vermelho