Última hora

Em leitura:

O quebra-cabeças da política externa de Trump


A redação de Bruxelas

O quebra-cabeças da política externa de Trump

As ondas de choque provocadas pela eleição de Donald Trump continuam a ter réplicas na Europa.
Durante a campanha, as opiniões do presidente eleito em matérias de política externa provocaram muitas preocupações junto dos responsáveis europeus. Donald Trump fez duras criticas aos países membros da NATO que não respeitam os compromissos financeiros para com a Aliança. E ameaçou reduzir o envolvimento militar norte-americano para assegurar a defesa da Europa. Trump quer também rever as prioridades da NATO, privilegiando a luta contra o terrorismo e reduzindo a frente russa.

Recorde-se que a Aliança decidiu em julho destacar quatro batalhões para o leste da Europa com o objetivo de reafirmar a solidariedade entre aliados face à Russia. Vejamos a análise de Alexander Mattelaer, especialista em questões de defesa. “É algo desconcertante de ouvir, sobretudo, do ponto de vista dos aliados da Europa Central e de Leste. Ao mesmo tempo, há compromissos assumidos que nenhum presidente dos Estados Unidos pode rejeitar de forma simples. Por isso, acredito que vamos assistir a um debate difícil sobre a partilha de esforços mas uma larga maioria dos aliados da Europa Central e de Leste parece pronta a cumprir o objetivo de consagrar 2% do esforço orçamental a despesas militares, como prevê a NATO. Serão sempre bons aliados e, no final de contas, a relação entre Trump e Rússia não é algo incontestável no seio do aparelho do Partido Republicano”

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia vão encontrar-se no domingo à noite para um jantar informal para debater as relações transatlânticas após a vitória de Donald Trump.

Cubo de Rubik

Provavelmente passou horas a dar voltas à cabeça com este cubo de plástico. O cubo de Rubik esteve no centro de uma batalha judicial. O brinquedo, ou quebra-cabeças para alguns, é uma marca ou um conceito técnico? Uma diferença que vai mudar a forma de comercialização do brinquedo.

Afinal o famoso cubo de Rubik vai poder ser fabricado por todos. O tribunal de Justiça da União Europeia decidiu que o puzzle tridimensional não pode ser reconhecido como marca registada: o formato do cubo não é, por si só, suficiente para impedir as cópias.

Recorde-se que em 1999 a Seven Towers – empresa que gere os direitos de propriedade intelectual do quebra-cabeças criado em 1974 pelo húngaro Erno Rubik – registou a forma do puzzle cúbico como marca junto do Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia (IPIUE).

Mas em 2006 a Simba Toys contestou esse registo, argumentando que a capacidade de rotação do puzzle devia ser alvo de uma patente e não uma marca registada.

Agora o Tribunal Justiça da União Europeia resolveu o problema do cubo de Rubik e deu razão à Simba e o Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia deve tomar uma nova decisão com com base na sentença judicial.

Para saber mais sobre a atualidade europeia na Euronews, veja esta noite o nosso programa semanal State of the Union.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

A redação de Bruxelas

NATO e UE esperam esclarecimentos de Trump sobre política externa