Última hora

Última hora

Haile Gebrselassie: "Sou apenas um etíope, trabalho para a Etiópia"

Haile Gebrselassie é uma lenda viva do atletismo.

Em leitura:

Haile Gebrselassie: "Sou apenas um etíope, trabalho para a Etiópia"

Tamanho do texto Aa Aa

Haile Gebrselassie é uma lenda viva do atletismo. Conquistou duas medalhas de ouro Olímpicas e quatro títulos mundiais, sempre nos dez mil metros e estabeleceu 27 recordes do mundo, dos três mil metros à maratona.

Aos 43 anos de idade continua inteiramente dedicado ao atletismo, agora de fato e gravata. Foi distinguido em Atenas com o prémio de carreira da Associação Internacional de Maratona e Longa Distância e esteve à conversa com a euronews.

Haile Gebrselassie:
“Tenho muito a fazer enquanto presidente da Federação de Atletismo da Etiópia. Uma das prioridades passa por organizar a estrutura e assegurar que os atletas têm tudo o que precisam, tudo o que for importante para eles. Quero concentrar-me nos atletas.”

Ioannis Karagiorgas:
“Há muitos anos que o doping é um problema do desporto em geral e do atletismo em particular. Este ano a equipa russa foi afastada dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Foi uma boa decisão?”

Haile Gebrselassie:
“Gostava de dizer que quando se toma uma decisão destas é preciso muita cautela, também há desportistas inocentes no atletismo russo. Temos de os descobrir, de saber quem são. E claro que há atletas que usam doping, são esses que é preciso punir, não podemos castigar toda a gente. Foi uma decisão um pouco dura para alguns atletas que trabalharam dia e noite.”

Ioannis Karagiorgas:
“Durante os Jogos Olímpicos, a sua compatriota, Feyisa Lilesa, fez um gesto simbólico de apoio aos Oromos, povo que tem sido perseguido na Etiópia. Também é originário dessa região, tem algum comentário?”

Haile Gebrselassie:
“Gostava de lhe dizer que sou um desportista, trabalho exclusivamente no desporto. E conhece o significado do desporto, não mistura política, religião ou questões étnicas, nada disso. Se me fizer esta pergunta quando eu me tornar um político, terei uma resposta adequada. Agora não, sou um desportista, se me pedirem um comentário, que posso dizer? Sou apenas um etíope, trabalho para a Etiópia. Não me interessa a origem dos atletas, quero servir toda a gente.”

Ioannis Karagiorgas:
“Por falar em política, já muita gente sugeriu que poderia ser esse o seu futuro e que se deveria candidatar a presidente do país. Estás nos seus planos? Tem essa vontade?”

Haile Gebrselassie:
“Primeiro tenho de acabar o meu trabalho atual. Dentro de quatro anos conhecerá a resposta. Neste momento faço tudo pelo desporto, quero servir toda a gente. Não me interessa se são da oposição ou do governo.”

Ioannis Karagiorgas:
“Portanto é uma possibilidade em aberto. Pensa nisso mas primeiro quer ver o que vai acontecer…”

Haile Gebrselassie:
“Claro!”

Ioannis Karagiorgas:
“Voltando ao desporto, alguém pode derrotar Mo Farah? Como?”

Haile Gebrselassie:
“É um atleta muito, muito forte e nos últimos 4/5 anos não apareceu ninguém no Quénia ou Etiópia capaz de rivalizar com ele. Vamos ver.”

Ioannis Karagiorgas:
“Por fim, a questão que toda a gente quer ver respondida. Bekele ou Gebrselassie, qual o mais forte?”

Haile Gebrselassie:
“O que acha?