Última hora

Em leitura:

Presidente sul-coreana vai enfrentar ministério público


Coreia

Presidente sul-coreana vai enfrentar ministério público

A Coreia do Sul está imersa no escândalo que envolve a presidente Park Geun-Hye e uma amiga de longa data, Choi Soon-Sil, que terá explorado a relação de proximidade a seu favor para extorquir fundos a empresários e imiscuir-se em assuntos de Estado.

Empresas como a de automóveis Hyundai ou a de electrónica Samsung estão implicadas, com financiamentos de milhões de euros a várias fundações de Choi Soon-Sil. Os responsáveis já foram ouvidos pelo ministério público sul-coreano, sem que tenham prestado declarações públicas.

O ministério público quer agora ouvir a presidente o mais depressa possível. Um porta-voz terá indicado a disponibilidade de Park Geun-Hye a partir de terça-feira, depois de nomear um advogado.

Esta será a primeira vez que um presidente sul-coreano em funções é interrogado pelo ministério público.

Choi Soon-Sil, a confidente da presidente Park e filha do líder de um culto que se terá tornado seu mentor após a morte da mãe, em 1974, foi acusada de fraude e abuso de confiança.

Há vários fins-de-semana que os sul-coreanos saem à rua clamando a demissão de Park Geun-Hye, com uma das maiores manifestações vistas na Coreia do Sul desde a democratização do país a ter acontecido este sábado passado, em Seul.

François Hollande iniciou as cerimónias que assinalam os atentados de 13 de novembro de 2015

França

François Hollande iniciou as cerimónias que assinalam os atentados de 13 de novembro de 2015