Parlamento israelita vai contra ordem do Supremo Tribunal

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
Parlamento israelita vai contra ordem do Supremo Tribunal

<p>O parlamento israelita aprovou o polémico projeto de legalização de colonatos judeus que foram construídos em terras palestinianas privadas, no território da Cisjordânia. Uma decisão que vai contra outra do Supremo Tribunal de Israel. </p> <p>A lei foi apresentada pelo partido do ministro da Educação e apoiada pela maioria do governo israelita, isto apesar de Benjamín Netanyahu ser contra. A legalização foi aprovada por 57 votos a favor e 52 contra. </p> <p>Durante o debate político a oposição advertiu para as consequências que esta aprovação pode ter para Israel até porque viola deliberadamente, o Direito Internacional. </p> <p>O objetivo desta lei é evitar o fim do colonato judeu de Amona, situação contra a qual se manifestaram dezenas de colonos à porta do parlamento. </p> <p>A decisão tinha sido tomada pelo Supremo Tribunal com base na legislação israelita que proíbe a expropriação de terras privadas com ou sem indemnização. </p> <p>Para os nacionalistas, impulsionadores da nova lei, não há ocupação porque um povo não pode ocupar uma terra que lhe pertence,</p> <p><em>Com <span class="caps">EFE</span></em></p>