Última hora

Última hora

Selecionador de futebol de Portugal é doutor "honoris causa" em Trás-os-Montes

Fernando Santos foi distinguido sexta-feira "com muita honra e muito prazer" pela UTAD e acabou uma vez mais felicitado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Em leitura:

Selecionador de futebol de Portugal é doutor "honoris causa" em Trás-os-Montes

Tamanho do texto Aa Aa

O selecionador de futebol de Portugal, Fernando Santos, mostrou-se honrado com o doutoramento ‘honoris causa’ atribuído pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), mas admitiu ter sido “difícil” aceitar e compreender a distinção.

“Nada me ligava a Vila Real. Não entendia muito bem o porquê, mas depois de tanta explicação e de muito me procurarem convencer, decidi aceitar, com muita honra e muito prazer. Por isso aqui estou presente”, afirmou Fernando Santos no discurso após receber o grau honorífico.

Apesar do seu percurso de 20 anos como jogador e 30 como treinador, o selecionador admitiu que o principal fator que contribuiu para este doutoramento ‘honoris causa’ foi a seleção nacional ter sido campeã da Europa em 2016. “Muitos podem pensar que foi sorte ou milagre. Sim, sorte e milagre existem, mas dão muito trabalho para se conseguirem”, frisou.


 

As palavras do “capitão” Ronaldo

A conquista do Euro2016 de futebol com Portugal foi, até agora, o momento mais feliz da vida de Cristiano Ronaldo. A “fé e a certeza” de Fernando Santos fizeram parte de um discurso do “capitão” da Seleção Nacional, efetuado no balneário, minutos depois da final de Paris e agora divulgado num vídeo (em baixo) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

“Ninguém acreditava em Portugal que seria possível, mas conseguimos. Esqueçam os troféus individuais, a Liga dos Campeões. Este é o momento mais feliz da minha vida. Estou mesmo contente. Era o título que faltava na minha carreira. Graças aos jogadores, ao ‘staff’ e claro ao selecionador. A sua fé, a sua certeza marcou-me. Merecemos isto. Entrámos na história de Portugal”, disse Ronaldo, que no jogo da final, ganha com um golo de Éder no prolonagmento, se lesionou e saiur logo aos 25 minutos.



Em França, foram 70 pessoas que durante 55 dias fizeram um “trabalho hercúleo” para conquistar o campeonato europeu. “O meu conhecimento do futebol vem do talento que Deus me deu para entender o jogo e da prática de muitos anos, portanto é empírico, e foi-se consolidando e crescendo com a aquisição de conhecimentos científicos através, do estudo, mas principalmente da aprendizagem com muitos que comigo trabalharam”, afirmou o selecionador nacional.

Fernando Santos formou-se em engenharia técnica de Eletrónica e Telecomunicações em 1977 e, pelo meio da sua carreira profissional, geriu um hotel no Estoril durante 17 anos, um trabalho que admite tê-lo ensinado a “gerir e liderar pessoas.”

O reitor da UTAD, António Fontainhas Fernandes, frisou que esta foi “uma homenagem justa e mais que justificada”. “A outorga do ‘honoris causa’ a Fernando Santos sublinha na sua pessoa o papel do desporto enquanto fator de agregação e inclusão social. A universidade entendeu, desta forma, homenagear uma ilustre figura nacional pelos seus princípios ao serviço do desenvolvimento harmonioso do homem e de uma sociedade preocupada com a preservação da dignidade humana”, salientou o reitor.

Fontainhas Fernandes afirmou ainda que esta distinção “é um ato que enaltece os princípios do desporto” e significa o “reconhecimento da importância desta área de saber” na UTAD.


No seu discurso, Fernando Santos deixou muitos agradecimentos a quem com ele trabalha e trabalhou, aos amigos, mas foi quando falou na sua família que a voz ficou embargada.

O técnico iniciou a sua carreira de jogador no Operário da Graça, em 1970/71, passou pelo Benfica e pelo Marítimo e, em 1987, assumiu a condição de treinador do Estoril-Praia. Seguiram-se Estrela da Amadora, FC Porto, Sporting, Benfica e, na Grécia, AEK, Panathinaikos e PAOK.

Em 2010, aceitou o convite para orientar a seleção grega e, em setembro de 2014, foi apresentado como treinador da seleção portuguesa, conseguindo a qualificação para o Euro2016. A 10 de julho, em Paris, França, sob a sua liderança técnica, a seleção nacional sagrou-se campeã europeia.

Fernando Santos tornou-se hoje no 10.º doutor ‘honoris causa’ da universidade transmontana, passando, segundo o reitor, a “estar ligado para sempre à história desta universidade”.

Presidente Marcelo feliciou o engenheiro agora “doutorado”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou Fernando Santos pelo doutoramento ‘honoris causa’ atribuído pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

“Representa um merecido reconhecimento por uma trajetória profissional feita de persistência, humildade e capacidade de liderança, a qual foi coroada, em 2016, por um feito ímpar alcançado pelo desporto nacional”, refere a mensagem na página oficial da Presidência na Internet.


“A homenagem concedida a Fernando Santos sublinha também o seu exemplo em, através duma capacidade de liderança e dum trabalho de equipa profícuo, superar dificuldades e transformar sonhos em realidades”, sublinha ainda Marcelo Rebelo de Sousa.

A nota presidencial destaca também que, “em tempos de grandes desafios”, é de saudar a iniciativa da UTAD em enfatizar estes valores, “desenhando caminhos de esperança para o país”.

A mensagem do Presidente da República recorda que, na sequência da vitória portuguesa no Campeonato Europeu de Futebol de 2016, Fernando Santos foi agraciado com o Grau de Grande Oficial da Ordem do Mérito.

Texto: Lusa (PLI/ APS)
Edição: Francisco Marques