Última hora

Última hora

Diva da Soul, Sharon Jones morre aos 60 anos

A artista norte-americana atuou vrias vezes em Portugal: a primeira foi em 2005 e a última foi em 2014, mas já este ano cancelou o concerto marcado para Paredes de Coura.

Em leitura:

Diva da Soul, Sharon Jones morre aos 60 anos

Tamanho do texto Aa Aa

A cantora de soul Sharon Jones morreu na sexta-feira em Nova Iorque, aos 60 anos, devido um cancro no pâncreas. A artista ainda venceu uma primeira batalha contra o tumor, voltou aos palcos, mas acabaria por perder a guerra ao fim de três anos.

De acordo com Judy Miller Silverman, a agente, a diva norte-americana da Soul morreu num hospital de Cooperstown, Nova Iorque, rodeada pela sua banda, os Dap Kings.

A artista atuou algumas vezes em Portugal. A primeira foi no Santiago Alquimista, Lisboa, em julho de 2005.

Voltaria em 2010 para atuar na última noite da primeira edição em Sesimbra do Festival Super Rock, partilhando o brilho dessa noite com um dos grandes admiradores. Sharon Jones & the Dap Kings atuaram no palco secundário escassas horas antes de Prince “arrasar” no palco principal do evento.

Os dois viriam a colaborar no ano seguinte, com os Dap Kings a abrir concertos para Prince. Num deles, o “purple king” de Minneapolis surpreendeu Sharon jones ao entrar no palco de guitarra a tira colo durante a atuação da artista.

Nesse ano, Sharon Jones & the Dap Kings voltariam a Portugal para atuar noutro festival, o Cool Jazz Fest, de Cascais.

Depois de vencer a primeira batalha contra o cancro, Sharon Jones voltaria uma vez mais a Portugal para um concerto arrebatador na Aula Magna, de novo em Lisboa, a 23 de novembro de 2014 — faz quarta-feira dois anos.

Este ano, os Dap Kings tiverem novo concerto marcado para Portugal, no Festival de Paredes de Coura, mas tiveram de cancelar. Terá sido um sinal de que a saúde de Sharon jones teria voltado a agravar-se.

O grupo ainda deu alguns concertos em setembro e tinha já outros marcados para dezembro e janeiro, mas o cancro “calou” de vez Sharon Jones — sete meses após o amigo e grande admirador Prince também ter morrido.

Para sempre, ficará a música.