Última hora

Última hora

De "mãos atadas", Obama pode deixar fugir para a China o projeto do TPP

O ainda Presidente dos Estados Unidos está no Peru, a participar na cimeira da APEC, onde Xi Jinping tem promovido uma alternativa ao acordo comercial que deve ser rejeitado por Trump.

Em leitura:

De "mãos atadas", Obama pode deixar fugir para a China o projeto do TPP

Tamanho do texto Aa Aa

Barack Obama é a grande estrela na cimeira Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC, na sigla inglesa), a decorrer em Lima, capital do Peru. Os receios de que Donald Trump deite por terra o Tratado Transpacífico (TPP) dominam o encontro.

Representada pelo Presidente Xi Jinping, a China é outro dos pesos pesados na APEC, mas está fora do TPP e pode ser a grande beneficiada caso o sucessor de Obama recuse o tratado. O mesmo para a Rússia, de Vladimir Putin, que também está em Lima

Anfitrião da cimeira da APEC, o Presidente do Peru avisou que num acordo transpacífico, “como é natural, não é apenas o comércio que está em jogo, é também o investimento, o emprego e o trabalho”. “E o trabalho tem de fazer parte dos nossos esforços, se não os trabalhadores vão sentir-se abandonados e eles são essenciais”, defendeu Pedro Kuczynski.

À margem da cimeira da APEC, decorreram também outras reuniões paralelas. Numa delas, houve um frente a frente entre os líderes das duas maiores potências económicas.

A despedir-se destas andanças e com cerca de dois meses até passar as chaves da Casa Branca a Trump, Obama pouco pode já fazer pelo TPP. Xi Jinping admite ocupar a eventual vaga aberta pelos norte-americanos e propor um outro acordo de comércio ao lado da Rússia e a que Pequim dá o nome de FTAAP, a sigla inglesa para área de Comércio Livre da Ásia-Pacífico.

Xi Jinping e Vladimir Putin também se reuniram à parte e o líder chinês disse ao homólogo russo que ambos os países devem implementar o consenso alcançado na cimeira da APEC de há dois anos, em Pequim, onde o FTAAP foi apresentado.