This content is not available in your region

Colômbia: Novo acordo de paz é assinado quinta-feira e não vai a referendo

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com reuters, efe, afp, lusa
Colômbia: Novo acordo de paz é assinado quinta-feira e não vai a referendo

<p>O governo colombiano e as guerrilhas <span class="caps">FARC</span> assinam, esta quinta-feira, uma versão revista do acordo de paz para terminar com mais de meio século de conflito depois de o primeiro texto ter sido rejeitado em referendo. Desta vez, o documento será ratificado no parlamento e não existirá uma nova consulta popular, o que é criticado pela oposição.</p> <p>Para o presidente Juan Manuel Santos, “depois de escutadas todas as propostas e alternativas – e de comum acordo com as <span class="caps">FARC</span> – é claro que a forma mais conveniente e legítima para aprovar o acordo é através do Congresso, onde estão representadas todas as visões e posições políticas do país”.</p> <p>Apesar de reconhecer que foram introduzidas melhorias no texto, a oposição insiste que o novo acordo deve ser submetido a referendo e critica a possibilidade de membros das <span class="caps">FARC</span> se poderem candidatar ao parlamento e à presidência sem serem punidos por crimes cometidos no passado. Líder da oposição, o ex-presidente Álvaro Uribe considera que é importante que “o governo não ceda à impunidade e ao tráfico de droga”.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-cards="hidden" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Colombia's new peace deal with Farc rebels rejected by opposition <a href="https://t.co/fMeBk1anlA">https://t.co/fMeBk1anlA</a></p>— The Guardian (@guardian) <a href="https://twitter.com/guardian/status/801083130245423104">November 22, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Governo e <span class="caps">FARC</span> assinaram, em setembro, um primeiro acordo para acabar com 52 anos de conflito armado. Juan Manuel Santos recebeu mesmo o prémio Nobel da Paz, mas o acordo acabou por ser rejeitado pelos colombianos em referendo.</p> <p>Após novas negociações, foram introduzidas alterações ligeiras no texto e detalhadas algumas disposições.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="es" dir="ltr">Análisis de los ajustes al acuerdo del Gobierno con las <a href="https://twitter.com/hashtag/FARC?src=hash">#FARC</a> <a href="https://t.co/MoHYd8XmDH">https://t.co/MoHYd8XmDH</a></p>— Andrés Pastrana A (@AndresPastrana_) <a href="https://twitter.com/AndresPastrana_/status/800896132692004864">November 22, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> O acordo será assinado em Bogotá, no Teatro Colombo. <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Colombia will finally sign its peace deal with Farc on Thursday <a href="https://t.co/cjUGEz9NmC">https://t.co/cjUGEz9NmC</a></p>— The Independent (@Independent) <a href="https://twitter.com/Independent/status/801343652891136001">November 23, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>