Última hora

Em leitura:

Dívida britânica aumenta, crescimento abranda


economia

Dívida britânica aumenta, crescimento abranda

O impacto do Brexit na economia britânica deve ser limitado, segundo o relatório de outono apresentado agora pelo ministro das finanças do Reino Unido, Philip Hammond.

A economia vai continuar a crescer, mas deve conhecer um abrandamento. A desvalorização da libra, que se seguiu à decisão de deixar a União Europeia, não é alheia a essa quebra: “Para 2017, o gabinete para a responsabilidade orçamental prevê que o crescimento abrande para os 1,4%, o que se atribui ao menor investimento e à quebra na procura dos consumidores, o que por sua vez está relacionado com as maiores incertezas e a subida na inflação, resultante da depreciação da libra esterlina”, disse o ministro na comunicação ao parlamento.

Além da quebra no crescimento, a grande novidade deste relatório de outono é o aumento da dívida, que vai estar 122 mil milhões de libras acima do esperado. Uma soma a que os analistas já chamam o buraco negro do Brexit: “Escolhemos esta comunicação de outono para dar prioridade a novos investimentos de grande volume, em especial nas infraestruturas e na inovação, o que deve contribuir diretamente para aumentar a produtividade da Grã-Bretanha.”, explicou ainda o ministro.

Este é o primeiro relatório apresentado por Hammond depois da tomada de posse em julho. O novo ministro sucedeu a George Osborne, que deixou o governo ao mesmo tempo que o ex-primeiro-ministro David Cameron. Osborne, que dirigiu as finanças do Reino Unido durante o ano que antecedeu o referendo, não deixou de desejar boa sorte ao sucessor, através do Twitter.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

economia

Contas públicas britânicas melhoram mesmo com incertezas do Brexit