This content is not available in your region

Espanha: Morreu Rita Barberá, líder histórica do PP que estava a ser investigada por corrupção

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com efe, lusa, afp, reuters, el mundo, el pais
Espanha: Morreu Rita Barberá, líder histórica do PP que estava a ser investigada por corrupção

<p>Morreu Rita Barberá, antiga presidente da Câmara de Valência, líder histórica do Partido Popular (PP) e <a href="http://www.elmundo.es/comunidad-valenciana/2016/11/23/5835487b46163f32158b45a6.html">figura importante para esclarecer vários alegados casos de corrupção envolvendo o partido no poder em Espanha</a>.</p> <p>A senadora, de 68 anos, morreu em resultado de um ataque cardíaco, esta quarta-feira, dois dias depois de ter sido interrogada no Supremo Tribunal no quadro de uma investigação sobre branqueamento de capitais e financiamento ilegal do PP, em Valência.</p> <p>Mariano Rajoy lamentou a morte de uma mulher que, nas palavras do primeiro-ministro espanhol, “dedicou a vida a Valência, foi 24 anos presidente da Câmara (…) e dedicou a vida ao Partido Popular”. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="es" dir="ltr">Rita Barberá lo dio todo por Valencia y por el Partido Popular. Mi sentido pésame a su familia. Descanse en paz. MR</p>— Mariano Rajoy Brey (@marianorajoy) <a href="https://twitter.com/marianorajoy/status/801352440373243905">November 23, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>As investigações às mais de duas décadas de poder do PP em Valência obrigaram Barberá a abandonar o partido, em setembro.</p> <p>Depois de já ter sido ilibada noutros casos de corrupção, a senadora tinha reiterado a sua inocência na audiência perante o Supremo Tribunal, esta segunda-feira, e negou a existência de um “saco azul” no PP local.</p> <p><a href="http://politica.elpais.com/politica/2016/11/23/actualidad/1479887130_732014.html">Barberá acabou por falecer, esta quarta-feira, num hotel de Madrid</a>. O parlamento observou um minuto de silêncio em memória da senadora.</p>