Última hora

Em leitura:

Israel: Terceiro dia de incêndios obrigam 60 mil a escapar de Haifa


Israel

Israel: Terceiro dia de incêndios obrigam 60 mil a escapar de Haifa

As autoridades israelitas foram obrigadas a deslocar mais de 50 mil pessoas da cidade de Haifa, assolada por um incêndio de grandes proporções pelo terceiro dia consecutivo.

Vários bairros da cidade foram totalmente evacuados, assim como escolas, hospitais e prisões. O aeroporto de Haifa foi encerrado após as autoridades terem declarado o estado de emergência na cidade.

Bombeiros e exército combatem neste momento as quatro frentes do incêndio.

O tempo seco e os ventos fortes fizeram propagar as chamas em quase metade do país, em Haifa mas também nos arredores de Jerusalém.

O ministro da segurança interna israelita, Gilad Erdan, afirmou esta manhã que 50% dos incêndios seriam de origem criminosa e com motivações políticas.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, mostrou-se mais reservado:

“Segundo as previsões meteorológicas ainda não podemos dizer se a seca e o vento são, por si só, responsáveis por estes incêndios que têm causas naturais e não naturais, ou seja fogo posto”.

Quatro suspeitos detidos pela polícia foram entretanto libertados.

O fogo atinge também os arredores de Jerusalém e a colónia israelita de Talmon, na Cisjordânia.

Vários países já se disponibilizaram a participar no combate às chamas como a Grécia, Turquia e Rússia.

A autoridade palestiniana ofereceu igualmente ajuda a Israel.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Sindicatos da alemã Lufthansa prolongam greve até sexta-feira