This content is not available in your region

Turquia responsabiliza regime Sírio pela morte de 3 soldados e promete uma "retaliação"

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com REUTERS, AFP, EFE
Turquia responsabiliza regime Sírio pela morte de 3 soldados e promete uma "retaliação"

<p>A Turquia promete uma “retaliação” depois de três soldados turcos terem sido mortos, na Síria, num bombardeamento que Ancara considera ter sido levado a cabo pela aviação do regime de Bashar al-Assad.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-cards="hidden" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/Turkey?src=hash">#Turkey</a> blames <a href="https://twitter.com/hashtag/Syrian?src=hash">#Syrian</a> regime for deadly airstrike on its troops, as Turkish-backed rebels close in on al-Bab: <a href="https://t.co/LwZURusXRD">https://t.co/LwZURusXRD</a></p>— Emre Peker (@wsjemre) <a href="https://twitter.com/wsjemre/status/801717677362442240">November 24, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Segundo a imprensa turca, os militares foram mortos na região de Al-Bab, onde a Turquia apoia militarmente uma ofensiva dos rebeldes para reconquistar a cidade aos ‘jihadistas’ do autoproclamado Estado Islâmico.</p> <p>Para o primeiro-ministro turco “é claro que algumas pessoas não estão contentes com a batalha que a Turquia trava contra o Daesh”. Binali Yildirim garantiu que haverá “uma retaliação” ao ataque.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/Turkish?src=hash">#Turkish</a> F-16 jets on standby, say Turk military sources, after claims of <a href="https://twitter.com/hashtag/Syrian?src=hash">#Syrian</a> airstrike on Turkish troops near al-Bab <a href="https://twitter.com/hashtag/VOAalert?src=hash">#VOAalert</a></p>— Jamie Dettmer (@jamiewrit) <a href="https://twitter.com/jamiewrit/status/801715368612032512">November 24, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O regime de Damasco não reagiu imediatamente, mas já por diversas vezes afirmou que a presença de tropas turcas é uma violação da soberania da Síria.</p> <p>A Turquia faz parte da coligação internacional que combate o autoproclamado Estado Islâmico. Em paralelo, Ancara lançou, em agosto, uma ofensiva na Síria, apelidada de ‘Escudo do Eufrates’, para empurrar para longe da fronteira os ‘jihadistas’ e as milícias curdas.</p> <p>Ancara tem apoiado ativamente os rebeldes que tentam derrubar o regime de Assad, mas baixou o tom da retórica contra o presidente sírio desde que as relações com Moscovo começaram a melhorar após um período de tensão quando abateu um bombardeiro russo há exatamente um ano.</p> <p>Um confronto direto entre a Turquia, membro da <span class="caps">NATO</span>, e forças governamentais sírias, que são apoiadas pela Rússia, poderia provocar uma perigosa escalada no já muito complicado cenário de guerra na Síria.</p>