Última hora

Em leitura:

#LigaPortuguesa J11: Braga e Sporting "caçam" FC Porto, Benfica lidera


Desporto

#LigaPortuguesa J11: Braga e Sporting "caçam" FC Porto, Benfica lidera


  • Empate do FC Porto no Restelo permite a “leões” e “guerreiros” subirem na classificação;
  • “águias” lideram, agora com 5 pontos de vantagem;
  • Carlos Pinto despedidos no Paços de Ferreira.


O Benfica recebeu e venceu o Moreirense domingo à noite, por 3-0, e após o empate “arrancado” a ferros no Dragão conseguiu agora aumentar a vantagem para o segundo classificado, que passou a ser o Sporting.

Envolvidos na luta pela fuga à descida, os “cónegos” surgiram na Luz sem treinador principal (Pepa foi despedido dias antes), mas até pareceram apresentar-se com a lição bem estudada.

Os dois jogadores emprestados ao Moreirense pelo Sporting, Francisco Geraldes e Daniel Podence, encarregaram-se de tapar caminhos ao meio-campo do Benfica, em especial a Pizzi, o homem das transições ofensivas. Mas não chegou.

Pizzi não foi de modas e de “dínamo” do meio campo passou a finalizador. Após ter sido Salvio a tentar encontrar o caminho do golo, à passagem da meia hora o internacional português abriu o marcador, concluindo um lance iniciado numa perda de bola infantil de Sagna, conduzido por Cervi e que contou ainda com a fraca oposição de Makaridze.

O Moreirense tentou o empate pouco depois, por Roberto. Valeu Ederson. O Benfica serenou e, após o intervalo, voltou mais seguro no jogo.

Aos 58 minutos, o mesmo Pizzi aproveitou uma excelente diagonal de Cervi para receber a bola em boa posição e bisar na partida.

Os tricampeões ficaram ainda mais tranquilos. As alterações efetuadas por ambos os treinadores não surtiram grandes mudanças na tendência do jogo e, à beira dos 90 minutos, o mexicano Raúl Jimenéz, aposta de Rui Vitória como ponta de lança neste jogo, assinou o terceiro golo no campeonato.

Na próxima jornada, as “águias” visitam o Marítimo antes da sempre intensa receção ao Sporting, o agora segundo classificado, a cinco pontos de distância. O Moreirense assumiu a “lanterna vermelha” do campeonato.

“Leões” de eficácia mínima no Bessa

Jorge Jesus decidiu deixar Bryan Ruiz no banco e apostou noutro costa-riquenho, Joel Campbell, como parceiro de ataque do holandês Bas Dost na visita ao Boavista. O treinador do Sporting parece ter acertado na dupla.

A velocidade do jogador emprestado pelo Arsenal ajudou a dinamizar o ataque “leonino” e permitiu ao holandês acertar no poste logo aos 10 minutos.

O jovem extremo foi o “arquiteto” do sétimo golo de Bas Dost na Liga portuguesa. Um cruzamento de “régua e esquadro” para o holandês “voar” e marcar, aos 25 minutos.

O Boavista, sem o possante Idris (castigado) no centro do campo, sem o criativo Iuri Medeiros (impedido por ser cedido pelo Sporting), demorou a conseguir importunar Rui Patrício. E mesmo assim foi em lances quase fortuitos no fecho da primeira parte.

Na segunda parte, a tendência manteve-se. O Sporting dominou, atacou, procurou o segundo golo, mas faltou eficácia. Aos 75 minutos, Bruno César acertou na trave.

O Boavista sofreu a pressão, arriscou pouco, mas viria a aproveitar o nervosismo final dos “leões”, pela vantagem mínima e pela expulsão (segundo amarelo) de Rúben Semedo, aos 83 minutos — entrou Paulo Oliveira.

Os “leões” resistiram e somaram mais três pontos, suficientes para subirem duas horas depois ao segundo posto, por troca com o FC Porto. Na próxima jornada, o Sporting recebe o Setúbal.

“Dragões” em queda

Pelo quarto jogo consecutivo, em todas as competições, o FC Porto voltou a não ganhar. Começou no empate consentido em casa com o Benfica, passou pela eliminação em Chaves na Taça de Portugal e, agora, no Restelo custou a queda para o terceiro lugar.

Diante do Belenenses, a equipa de Nuno Espírito Santo (NES) ficou, aliás, em sentido logo aos 13 minutos com o “míssil” de André Sousa ao poste da baliza de Iker Casillas.

Pouco depois, do outro lado do campo, isolado, Olíver perdeu uma grande oportunidade devido à ação oportuna de Domingos Duarte, central emprestado aos anfitriões pelo Sporting.

O jogo seguiu dividido até ao intervalo, com a chuva a não dar tréguas, a intensidade a aumentar e alguns adeptos a pedirem desde a bancada: “joguem à bola!”

Na segunda parte, os “dragões” tentaram impor maior velocidade. O Belenenses não vacilou, mas Felipe quase marcou, aos 56 minutos. Desta vez, foi outro defesa “do” Belém, o francês Florent Hanin, a salvar sobre a linha.

NES lançou o gigante Depoitre, mas o belga entrou desastrado e desesperou os adeptos portistas. Camará pregou alguns sustos a Casillas e sobre os “90” foi o guarda-redes da casa, Joel Pereira, a impedir André Silva de marcar.

O FC Porto somou o terceiro empate consecutivo no campeonato e foi ultrapassado por Sporting e Braga. O Belenenses apanhou o Boavista e o Vitória de Setúbal.

Braga também ultrapassa FC Porto

No fecho da jornada, o Sporting de Braga recebeu o Feirense e começou cedo a “desenhar” o resultado. Rui Fonte marcou aos oito minutos. Nem o autogolo de Lazar Rodic pouco depois abalou os “guerreiros” de José Peseiro.

O egípcio Hassan, aos 22 minutos, e de novo Rui Fonte, aos 43, permitiram ao Braga ir para o intervalo com uma vantagem folgada. Na segunda parte, Wilson Eduardo dilatou a goleada. Primeiro de penálti, depois a encostar um bom cruzamento de Ricardo Horta.

O Feirense ainda reduziu aos 65 minutos, por Platiny, mas sobre os “90”, Ricardo Horta fixou o resultado mais dilatado da jornada (6-2) e confirmou a ultrapassagem dos “guerreiros” aos “portistas.”

A jornada abriu sexta-feira com a receção do Vitória de Setúbal ao Rio Ave. Estreia feliz de Luís Castro como treinador dos vila-condenses. Um golo de Filipe Augusto, aos 19 minutos, permitiu ao Rio Ave ultrapassar os sadinos e subir ao sétimo lugar.

No sábado, ao final da manhã, Desportivo de Chaves e Marítimo empataram a zero em Trás-os-Montes. À tarde, o Estoril foi à Madeira derrotar o Nacional.

Um autogolo do egípcio Ali Ghazal, logo aos oito minutos, decidiu o encontro. Os “canarinhos” também ultrapassaram o Setúbal. Os insulares são agora penúltimos.

No domingo à tarde, o Arouca recebeu o Paços de Ferreira e, também com um golo logo nos primeiros 10 minutos, este por Jorginho, conquistou a terceira vitória na Liga, distanciando-se da linha de água.

Nos “castores”, a quinta derrota provocou a “chicotada psicológica”: Carlos Pinto é o sexto treinador a ser despedido neste campeonato.

À noite, o Vitória de Guimarães visitou o “lanterna vermelha” à entrada da jornada, o Tondela. Sem Moussa Marega, o melhor marcador do campeonato (10 golos) devido a castigo, voltou a ser Tiquinho Soares a acertar nas redes adversárias pelos vimaranenses.

O brasileiro marcou, aos 75 minutos, o sexto golo na Liga. Mas o Tondela reagiu bem e, com um bis do também brasileiro Wagner em dois minutos (84 e 85 minutos), ganhou pela segunda vez no campeonato e deixou os lugares de descida.

Destaque da Jornada: Pizzi, 27 anos, Benfica

Luís Miguel Afonso Fernandes, conhecido no mundo do futebol como “Pizzi”, é um dos atuais pilares do Benfica. Nasceu para o futebol em Bragança. Ingressou nos juniores do Sporting de Braga, em 2007, e após alguns empréstimos, destacou-se no Paços de Ferreira. No regresso a Braga, não ficou muito tempo. Fez dois jogos e foi contratado pelo Atlético de Madrid.

Com pouco espaço nos “colchoneros”, passou uma temporada emprestado no Deportivo da Corunha e foi vendido ao Benfica, a troco de seis milhões de euros por metade do passe, mas ainda passou a temporada de 2013/14 cedido no Espanyol de Barcelona.

Em 2014, mudou-se para a Luz, tem vindo a ganhar preponderância na equipa, onde é um dos tricampeões. Neste campeonato, leva 11 jogos e cinco golos. Tendo bisado na receção de domingo ao Moreirense. Num jogo em que a tática rival passava por não o deixar organizar o jogo ofensivo das “águias”, o médio trocou as voltas ao adversário e surgiu como finalizador. Em boa hora para o Benfica.

Artigo seguinte

Desporto

Dinamarca vence Taça do Mundo, Portugal termina em 26.º