This content is not available in your region

EUA: Membro do colégio eleitoral demite-se para não votar em Trump

Access to the comments Comentários
De  Euronews
EUA: Membro do colégio eleitoral demite-se para não votar em Trump

<p>“Donald Trump não está qualificado para ser presidente dos <span class="caps">EUA</span>”, foi assim que um membro republicano do Colégio Eleitoral do Texas decidiu não dar o seu voto ao presidente eleito. </p> <p>“Se Trump não está qualificado para este papel, tanto moralmente como historicamente, como responsável eleito tenho obrigação de votar de acordo com a minha consciência, e é por isso que não posso nem vou votar por Donald Trump para presidente”, afirmou Art Sisneros.</p> <p>O republicano que é um dos 38 membros do colégio eleitoral do Texas apresentou a sua demissão do organismo esta semana. Num <a href="https://theblessedpath.com/2016/11/26/conflicted-elector-in-a-corrupt-college/">longo artigo</a> , Sisneros explica as razões da sua decisão, denunciando um colégio eleitoral, segundo ele, “corrupto” e “ruinoso”, “distante da sua função original”.</p> <p>Uma posição que se junta às críticas ao sistema eleitoral norte-americano que permitiu a vitória de Trump apesar de um voto popular maioritário em Clinton, com uma margem de mais de dois milhões de eleitores.</p> <p>No sistema eleitoral norte-americano, os eleitores não escolhem diretamente o presidente, mas delegam esta função nos 538 membros do colégio eleitoral ou “grandes eleitores”. </p> <p>O Colégio Eleitoral que também escolhe o vice-presidente do país foi criado em 1787 pelos autores da Constituição, depois de descartarem o voto por sufrágio direto para proteger os estados mais pequenos face aos estados maiores.</p> <p>O substituto de Art Sisneros deverá ser eleito no dia 19 de dezembro, durante a próxima reunião do Colégio Eleitoral.</p>