Última hora

Em leitura:

Ruanda abre inquérito contra militares franceses suspeitos de envolvimento no genocídio de 1994


França

Ruanda abre inquérito contra militares franceses suspeitos de envolvimento no genocídio de 1994

O Ruanda abriu um inquérito, formal, a militares franceses suspeitos de envolvimento no genocídio que fez, pelo menos, 800.000 mortos, entre abril e julho de 1994.

O anúncio foi feito pelo Procurador-geral ruandês. Em comunicado, Richard Muhumuza, explica que, tendo em consideração os dados recolhidos até ao momento, o inquérito se centra em 20 indivíduos.

Os oficiais são “intimados pela Procuradoria-geral a explicar ou esclarecer acusações” que recaem contra eles para que o Ministério Público possa determinar se eles “deverão ou não ser formalmente acusados”.

O procurador diz que as autoridades francesas já foram contactadas e que esperam total cooperação da sua parte.

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros já fez saber que o pedido do Ruanda foi transmitido ao Ministério da Justiça e que Paris está, plenamente, empenhada em julgar as pessoas que participaram do genocídio.

A investigação pode crispar, mais ainda, as relações entre os dois países, que têm sofrido alguns solavancos nos últimos 22 anos.

Quando o genocídio estava em curso França foi acusada de usar a sua influência diplomática para impedir uma ação efetiva. Quando, finalmente, enviou tropas para o Ruanda, na Operação Turquesa, foi acusada de só o ter feito para deter o avanço dos rebeldes tutsi de Kagame e permitir aos autores do genocídio fugir para o vizinho Zaire, a atual República Democrática do Congo. França garante que o destacamento das suas tropas fez cessar as matanças e salvou milhares de vidas.

Com Lusa

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Cerveja belga é património imaterial da humanidade