Última hora

Em leitura:

Elétricas serão compensadas pelo fim do nuclear na Alemanha


Alemanha

Elétricas serão compensadas pelo fim do nuclear na Alemanha

Os produtores de energia vão ter que receber compensações com a saída da Alemanha do nuclear.

O Tribunal Constitucional apoiou em parte a reivindicação das elétricas que exigem a indemnizações pela decisão do governo de antecipar o encerramento de reatores nucleares depois do desastre de Fukushima há cinco anos.

O governo não se mostra perturbado.

“No governo, nós vamos naturalmente avaliar o veredicto. No final da data limite estabelecida, junho 2018, vamos reformar a lei de uma forma que tenha em conta estas pequenas lacunas. O que é bom é que o tribunal manteve que o procedimento legislativo no seu todo não questionável”, diz o secretário de Estado do Ambiente, Jochen Flasbarth.

O tribunal não quantificou o valor da compensação, mas pediu ao governo para chegar a um acordo.

A queixa data de 2012 por parte dos gigantes E.ON, RWE e a sueca Vattenfall.

“Isto significa, expectativa legitima, proteção de investimento e capacidade de gerar energia.
Foram reconhecidas violações constitucionais e agora o legislador tem que fazer algumas correções. O tribunal foi muito claro por isso para as companhias foi um veredicto justo”, declarou Rupert Scholz, representante legal da E.ON.

A imprensa fala numa compensação de cerca de 20 mil milhões de euros, mas nada está ainda estabelecido.

Berlim decidiu acabar com todas as 17 centrais nucleares até 2022. Oito continuam a operar.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

França

França: Valls transmite chefia do governo a Cazeneuve