Última hora

Última hora

Autarcas de Batalha e Lisboa debatem refugiados com Papa Francisco

O Sumo Pontífice é anfitrião de um encontro de dois dias com autarcas de 80 cidades europeias um dia após ter celebrado uma vez mais na Praça de Espanha, em Roma, o Dia da Imaculada Conceição.

Em leitura:

Autarcas de Batalha e Lisboa debatem refugiados com Papa Francisco

Tamanho do texto Aa Aa

O Papa Francisco é anfitrião no Vaticano, esta sexta-feira, do arranque de um encontro de dois dias com presidentes de Câmara de 80 cidades europeias. Intitulado “Europa: os refugiados são nossos irmãos”, neste evento promovido pela Pontifícia Academia das Ciências Sociais vão estar, em representação de Portugal, Paulo Santos, o autarca da Batalha, e Fernando Medina, o de Lisboa.

O objetivo deste encontro, em que também estarão por exemplo os autarcas de Madrid, Barcelona e Paris, é “atrair a atenção internacional sobre a ameaça à estabilidade mundial representada pelo número de refugiados no planeta — um número que no momento supera os 125 milhões”, lê-se na nota publicada pela Rádio Vaticano em português.

Esta quinta-feira, o Sumo Pontífice celebrou uma vez mais o Dia da Imaculada Conceição aos pés do monumento à Virgem Maria, em plena Praça de Espanha, um dos locais mais famosos de Roma.

Com o líder da Santa Sé, esteve pela primeira vez a nova presidente da Câmara da capital italiana, Virginia Raggi.

Na tradicional oração, o Francisco pediu este ano a proteção e a iluminação da Virgem Maria para os mais necessitados, colocando no foco da sua mensagem as crianças abandonadas e em risco, as famílias pobres, os trabalhadores em dificuldades e os desempregados.

O dogma da Imaculada Conceição foi proclamado a 8 de dezembro de 1854 pelo Papa Pio IX. Três anos mais tarde, a 8 de dezembro de 1857, o Papa abençoou e inaugurou o monumento da Imaculada na Praça de Espanha, em Roma.

O Papa Pio XII, por sua vez, foi o primeiro a enviar flores à Praça de Espanha na Solenidade da Imaculada.

São João XXIII, em 1958, dirigiu-se à Praça de Espanha e depositou aos pés do monumento um cesto contendo rosas brancas. Sucessivamente, visitou a Basílica de Santa Maria Maior. Tal gesto foi repetido também pelos Papas Paulo VI, São João Paulo II e Bento XVI.

 

A Oração do Papa Francisco à Virgem Maria

“Ó Maria, nossa Mãe Imaculada, no dia de tua festa venho a Ti, e não venho sozinho: Trago comigo todos aqueles que o teu filho me confiou, nesta cidade de Roma e em todo o mundo, para que Tu os abençoe e os salve dos perigos.

Trago a Ti, Mãe, as crianças, especialmente aquelas sozinhas, abandonadas, e que por isso são enganadas e exploradas.

Trago a Ti, Mãe, as famílias, que levam em frente a vida e a sociedade, com seu compromisso diário e escondido; especialmente as famílias que têm mais dificuldades, por tantos problemas internos e externos.

Trago a Ti, Mãe, todos os trabalhadores, homens e mulheres, e confio a ti especialmente quem, por necessidade, se esforça em realizar um trabalho digno e aqueles que perderam o trabalho ou não conseguem encontrar um.

Temos necessidade de teu olhar imaculado, para reencontrar a capacidade de olhar para as pessoas e as coisas com respeito e reconhecimento, sem interesses egoístas ou hipocrisia.

Temos necessidade de teu coração imaculado, para amar de maneira gratuita, sem segundas intenções, mas buscando o bem do outro, com simplicidade e sinceridade, renunciando à máscaras e truques.

Temos necessidade de teus pés imaculados, para ir de encontro àqueles que não podem dar o seu primeiro passo, para caminhar nos caminhos de quem está perdido, para ir e encontrar as pessoas sozinhas.

Nós te agradecemos, ó Mãe, porque mostrando-se a nós livre de qualquer mancha de pecado,Tu nos recordas que antes de tudo existe a graça de Deus, existe o amor de Jesus Cristo que deu a vida por nós, existe a força do Espírito Santo que tudo renova.

Faz que não cedamos ao desencorajamento, mas, confiando na tua constante ajuda, nos empenhemos a fundo para renovar nós mesmos, esta Cidade e o mundo inteiro.

Reza por nós, Santa Mãe de Deus.”