Última hora

Em leitura:

Lavrov: "Exército sírio suspende combates em Alepo"


Síria

Lavrov: "Exército sírio suspende combates em Alepo"

O exército sírio suspendeu todas as operações de combate em Alepo para permitir a retirada de civis.

O anúncio foi proferido pelo ministro russo dos Negócios Estrangeiros Sergei Lavrov que acrescentou existir uma reunião marcada entre a Rússia e os Estados Unidos no sábado em Genebra para elaborar um plano de retirada dos rebeldes.

O cerco estava a apertar-se sobre os opositores e também sobre milhares civis.

Com o apoio da Rússia, o Exército de Bashar al-Assad está em vantagem depois de ter reconquistado a parte histórica da cidade síria.

Os rebeldes têm recusado abandonar posições, preferindo um cessar-fogo imediato de cinco dias para a evacuação de civis.

Os opositores a Assad controlam agora apenas 25 % do território que possuíam no início de novembro.

A preocupação pelos civis encurralados era cada vez maior. O representante da União das Organizações Sírias de Socorro Médico explica: “Todos os ganhos da humanidade para fazer valer as convenções e outros princípios de proteção de civis, hospitais e pessoal médico estão a ser violados diariamente na Síria nos últimos cinco anos. Penso que o que está acontecer é uma vergonha para toda a humanidade”, afirma Tawfik Chamaa.

Estima-se que a maioria dos 200 mil civis que têm estado encurralados encontra-se cada vez mais sobre pressão numa área rebelde menor, de dia para dia. Homens mulheres e crianças enfrentam o risco de morte.

A ONU afirma que 33 mil pessoas foram deslocadas nos últimos dez dias, incluindo 20 mil que conseguiram caminhar para a região controlada pelo governo.

Em quase um mês, mais de 800 pessoas morreram e 3500 ficaram feridas em Alepo.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

mundo

Iraque: Líder do Parlamento aponta dedo ao Governo pelo sangrento raide sobre Al Qaim