Última hora

Em leitura:

Grécia paralisa contra agravamento de austeridade exigida pelos credores


Grécia

Grécia paralisa contra agravamento de austeridade exigida pelos credores

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Os gregos voltaram a parar o trabalho esta quinta-feira em protesto contra a reforma laboral que se avizinha, no âmbito do terceiro resgate internacional de que beneficiam e que deverá ser concluído em 2018. As medidas em perspetiva ameaçam vir a dar mais poderes aos patrões e facilitar os despedimentos.

Para agravar ainda mais o estado de espírito dos gregos, o acordo anunciado segunda-feira em Bruxelas para aliviar a curto prazo a dívida grega, pode implicar também mais austeridade.

O governo de Alexis Tsipras vinha recusando apertar ainda mais o cinto dos contribuintes, mas para o acordo ser possível aceitou manter um excedente primário de 3,5 por cento e isso, sem perspetiva de um forte crescimento económico no imediato, só parece ser possível com mais austeridade.

A greve geral marcada para esta quinta-feira terá ganho, assim, ainda mais adesão e, de acordo com Oscar Valero, um regular colaborador espanhol da euronews e da agência EFE a residir em Atenas, duas a três mil pessoas saíram para a rua em protesto na capital grega.

Entretanto, aos microfones da euronews, uma manifestante disse haver “pessoas com depressão em quase todas as famílias”. “De facto, existem grandes dificuldades não apenas na economia mas também no âmbito social”, acrescentou.

Um outro manifestante disse a Stamatis Giannisis, um dos nossos correspondentes em Atenas, que “as pensões já foram cortadas pelo menos 40 por cento”. “Não há dinheiro para mais impostos. As pessoas trabalharam duro e já pagaram muito. Tiraram-lhes tudo por antecipação”, acusou.

Em conclusão de reportagem, Stamatis Giannisis conta-nos que “a possibilidade de uma revisão do acordo entre o governo helénico e os credores internacionais, que pode levar a mais austeridade, alarmou os sindicatos da Grécia”. “Com medo de mais reduções nos salários e nas pensões, os sindicatos agravaram os protestos previstos”, afirmou.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

mundo

Iraque: Líder do Parlamento aponta dedo ao Governo pelo sangrento raide sobre Al Qaim