This content is not available in your region

Holanda: líder de extrema-direita, Gert Wilders, condenado por discriminação

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AFP, Reuters, EBU
Holanda: líder de extrema-direita, Gert Wilders, condenado por discriminação

<p>Na Holanda, um tribunal condenou Gert Wilders, líder do partido de extrema-direita <span class="caps">PVV</span> (Partido da Liberdade) acusando-o de discriminação contra os marroquinos.</p> <p>O caso remonta a 2014 e a um encontro realizado em Haia com apoiantes do seu partido. No encontro, Wilders pergunta ao público se querem mais ou menos marroquinos naquela cidade e no país em geral.</p> <p>O público reage dizendo que quer menos marroquinos no país ao que Wilders acrescenta dizendo que o seu partido irá tratar do caso.</p> <p>Esta sexta-feira, o tribunal declarou Gert Wilders culpado de discriminação abstendo-se contudo de impor uma pena ou multa.</p> <p>Reagindo ao veredito, Wilders afirmou que vai recorrer da sentença e que os juízes haviam restringido a liberdade de expressão de milhões de holandeses.</p> <p>“Tenho uma mensagem para os juízes que me condenaram: “vocês restringiram a liberdade de milhões de cidadãos e, por conseguinte, condenaram toda a gente. Já ninguém confia em vocês mas felizmente a verdade e a liberdade são mais fortes!”, disse o líder de extrema-direita.</p> <p><a href="https://www.youtube.com/watch?v=8_Vn_uHZvRw">Veja aqui a reação de Gert Wilders</a></p> <p>O líder do Partido da Liberdade classificou o caso como uma “loucura” e um “processo político” recusando-se a participar no julgamento. Wilders ausentou-se ainda da leitura do veredito.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Poll: Majority Dutch people against guilty verdict.<br /> <br /> The only valid verdict is that of the Dutch voters on March 15. <a href="https://t.co/6rJ3NrQ2j8">https://t.co/6rJ3NrQ2j8</a></p>— Geert Wilders (@geertwilderspvv) <a href="https://twitter.com/geertwilderspvv/status/807278533886300160">December 9, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Reagindo à decisão, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, declinou comentar a decisão dos juízes uma vez que Wilders recorreu da sentença. No entanto, o seu partido, o partido WD, rejeitou partilhar o poder com o partido encabeçado por Wilders caso este não apresente desculpas pelos comentários.</p> <p>Estão previstas eleições parlamentares para o próximo dia 15 de março. Algumas sondagens dão a vantagem ao <span class="caps">PVV</span> de Wilders antecipando mesmo uma maioria parlamentar de dez deputados.</p>