Última hora

Em leitura:

Síria: Rússia anuncia suspensão de ofensiva em Alepo


Síria

Síria: Rússia anuncia suspensão de ofensiva em Alepo

A Rússia, aliada do regime de Bashar al-Assad, anunciou a suspensão da ofensiva do Exército sírio contra os bairros controlados pelos rebeldes em Alepo, segunda cidade do país.

A medida deverá, supostamente, permitir a deslocação de milhares de civis, encurralados pelos violentos combates. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos afirmou que os bombardeamentos pararam, mas continuam a registar-se tiros de artilharia.

O chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, afirmou que “chegou-se a acordo para realizar um encontro no sábado em Genebra entre peritos militares e diplomatas, para finalizar o trabalho que tem continuado, de forma esporádica, nestes dias para obter um documento que determine formas e meios para chegar a uma solução final para o problema do leste de Alepo, garantindo a retirada de todos os militantes, bem como dos civis que querem sair”.

A situação da população civil em Alepo é desesperada e a maioria espera um cessar-fogo e uma abertura para fugir da zona de guerra. Nos últimos 26 dias, mais de 800 pessoas morreram e outras 3500 foram feridas, segundo o presidente do Concelho Local de Alepo, uma estrutura criada pelos grupos rebeldes. Desde Genebra, Brita Haji Hassan afirmou que “há 150.000 pessoas condenadas à morte. É preciso um corredor seguro, sem bombardeamentos e sem derrame de sangue”.

Grande parte de Alepo está reduzida a ruínas, como mostram as próprias imagens difundidas pelo Exército sírio.

Depois da Rússia ter anunciado a suspensão dos combates, o mediador da ONU, Staffan de Mistura, afirmou que chegou o momento de tentar retomar as negociações de paz para a Síria.

Morreu John Glenn, primeiro norte-americano em órbita

EUA

Morreu John Glenn, primeiro norte-americano em órbita