Última hora

Em leitura:

#LigaPortuguesa, J13: Ederson vale liderança ao Benfica e FC Porto passa Sporting


Desporto

#LigaPortuguesa, J13: Ederson vale liderança ao Benfica e FC Porto passa Sporting


  • “Águias” recuperam para 5 pontos a vantagem sobre “leões”;
  • FC Porto soma nove golos em dois jogos consecutivos;
  • Sp. Braga a um ponto do Sporting em vésperas de visitar Alvalade.

Benfica a Sporting proporcionaram um bom espetáculo este domingo à noite no Estádio da Luz, com sinal mais dos “leões”, mas maior eficácia e triunfo das “águias”, por 2-1.

O lance do primeiro golo “encarnado” fica manchado por uma mão de Pizzi, no lance do golo, mas o triunfo acaba por ser merecido para Ederson Moraes tal a forma como o guarda-redes da casa evitou que os visitantes expressassem no marcador a superioridade no futebol jogado.


Rui Vitória deu a titularidade a Rafa e apostou em Raúl Jimenez no “onze”, com Fejsa e Pizzi na oposição direta a William e Adrien. Jesus respondeu com Brayn Ruiz mais próximo de Bas Dost e Bruno César como pivô da transição ofensiva.

Mais uma vez, o Sporting de Jesus mostrou-se melhor que o Benfica de Vitória, mais organizado, mais ofensivo, mas desta vez e tal como em Alvalade na última época, menos eficaz.

Diante de André Almeida, Gelson foi um quebra-cabeças a quem faltou um pouco mais de sentido de baliza, mas logo aos oito minutos proporcionou a primeira boa defesa da noite a Ederson. Rafa respondeu do outro lado com um remate à figura de Rui Patrício.


Aos 17 minutos, foi Bryan Ruiz, de cabeça, a obrigar o guarda-redes encarnado a brilhar. Depois foi Bas Dost a falhar um desvio e Bruno César a obrigar Ederson a nova defesa, no lance em que nasce uma das polémicas do jogo.

Com a mão, Pizzi deu início na grande área defensiva ao contra-ataque que viria a terminar no 1-0. Jogada rápida, com Pizzi em esforço a soltar Rafa e este de trivela a servir Salvio ao segundo poste, para a abertura do marcador.

O Sporting ressentiu-se e desorganizou-se. O Benfica motivou-se e aproveitou. Ainda assim voltaram a ser os “leões” a ficar perto do golo, por William após novo desvio com o braço, na área defensiva, do benfiquista Nelson: segundo lance polémico.

Gelson ainda voltou a colocar Ederson à prova, mas foi Rui Patrício a fechar a primeira parte a brilhar. Raúl Jimenez aproveitou uma má intervenção de Bryan Ruiz, ficou isolado e o guarda-redes opôs-se em grande nível ao remate do mexicano do Benfica.


Jesus trocou Bruno César por Joel Campbell para a segunda parte. Aos 47 minutos, o recém entrado costarriquenho assistiu Bas Dost para um “tiro” ao poste.

No contra-golpe, Salvio aproveitou oposição macia de Zeegelaar, lançou Nélson Semedo e o lateral cruzou para um oportuno Jimenez, a surgir nas costas de João Pereira e a fazer o 2-0.


Com a eficácia a fazer a diferença — a do ataque e do guarda-redes do Benfica —, o Sporting não vacilou e Rui Vitória trocou Salvio por Danilo, tentando reforçar o meio-campo, onde William e Adrien eram os grandes dínamos da superioridade do Sporting em campo.

Aos 58 minutos, William remata para golo, mas Ederson volta a brilhar. Jesus trocou Bryan Ruiz por Alan Ruiz para refrescar o ataque, mas o argentino continua deslocado dos colegas e voltou a ser um corpo estranho em campo.

Bas Dost voltou a “esbarrar” em Ederson, aos 60 minutos. Campbell entrou bem e foi dele, de novo, a assistência. Franco Cervi substituiu Gonçalo Guedes e o Benfica melhorou, mas foi o Sporting a conseguir, finalmente, marcar: nova jogada de Campbell e Bas Dost a reduzir para 2-1.


Aos 78 minutos, Cervi cruzou da esquerda e Rafa, de primeira, rematou por alto. O jogo estava mais dividido e rápido em ambos os ataques. Jesus trocou Bas Dost pelo brasileiro Abdré para os derradeiros minutos e o holandês não gostou.


Rui Vitória respondeu com Samaris à entrada para os descontos e o Benfica conseguiu segurar a vantagem e reforçar a liderança. O Sporting foi ultrapassado pelo FC Porto e volta a estar a cinco pontos do líder.

“Dragões” abriram o “ketchup”

A expressão “Os golos são como ‘ketchup’, podem demorar a sair, mas vêm todos de uma vez” foi tornada célebre por Cristiano Ronaldo, em 2010, numa altura em que a eficácia do avançado atravessava um deserto. Aplica-se agora também ao FC Porto. Em dois jogos, nove golos.

Pouco antes do dérbi da Luz, os “dragões” jogaram em Santa Maria da Feira e depois dos 5-0 a meio da semana na receção ao Leicester, na Liga dos Campeões, agora outros 4-0 na visita ao Feirense.


O resultado começou a desenhar-se aos quatro minutos. Ícaro derrubou André Silva na área, foi expulso e o avançado abriu o marcador no consequente penálti. Os anfitriões tiveram de se reorganizar, mas não baixaram os braços.

Aos 12 minutos, Jean Sony rematou ao lado. Aos 18, Tiago Silva acertou no poste da baliza de Iker Casillas. O FC Porto abanou, reagrupou-se e à meia hora o argelino Brahimi dilatou a vantagem. O Feirense continuava a tentar reagir.

Pouco depois do reatamento, Karamanos é derrubado por Ivan Marcano quando se isolava na cara de Casillas. O árbitro nada assinalou. Quase de imediato, o espanhol “roubou” o 0-3 ao companheiro da defesa. Num canto, o brasileiro Felipe cabeceou para o golo, mas Marcano ainda tocou sobre a linha de golo.

Aos 67 minutos, André Silva fechou o marcador. Brahimi lançou Alex Tellese o brasileiro cruzou à medida da cabeça do avançado, que logo a seguir cedeu o lugar ao ainda júnior Rui Pedro.

O jogo terminou com oportunidades para ambos os lados: o “dragnao” Diogo Jota obrigou Vaná a boa defesa; Etebo acertou na barra de Casillas; e Herrera atirou às malhas laterais da baliza do Feirense.


Os “dragões” voltam a ultrapassar o Sporting, são segundos e estão a quatro pontos do líder, o Benfica. O Feirense sofreu a quarta derrota seguida, foi ultrapassado pelo Nacional e caiu nos lugares de descida: é antepenúltimo.

Braga a um ponto do pódio

O Sporting de Braga recebeu o Paços de Ferreira e ao intervalo tinha o jogo decidido. Rui Fonte abriu o marcador aos 16 minutos a passe de Wilson Eduardo. Aos 23, Ricardo Horta assinou o golo do jogo, com um remate de longe em arco a partir da meia esquerda.


Na segunda parte, a parceria Wilson-Fonte voltou a desequilibrar e o avançado bisou. Os “guerreiros” do Minho ficam a um ponto do Sporting e na próxima jornada visitam Alvalade. Os pacenses estnao dois pontos acima da linha de água.

A jornada 13 abriu sexta-feira, com a visita do Estoril a Setúbal. Os sadinos voltaram aos triunfos (2-0), com golos de João Amaral e Edinho.

No sábado, ao meio-dia, o Belenenses recebeu e venceu o Marítimo, com um único golo de Gerso. Ao início da noite, o Moreirense foi a Chaves perder (2-1).

O golo de abertura dos transmontanos, assinado por Willian, merece figurar nos melhores da Europa deste fim de semana. Boateng ainda empatou, mas Rafael Lopes garantiu o triunfo flaviense já nos descontos.

À noite, o Guimarães foi Bessa vencer e aproximar-se do pódio. O uruguaio David Teixeira abriu o marcador aos três minutos e quase de imediato o brasileiro Philipe Sampaioemptou para o Boavista. Na segunda parte, de livre, o peruano Paolo Hurtado confirmou o triunfo vimaranense.

Já este domingo, no duelo entre os dois últimos, o Tondela chegou ao intervalo a vencer na Choupana, por 0-2, com golos de Wagner e Miguel Cardoso. Na segunda parte, dois autogolos de Kaká, o decisvo aos 89 minutos, com o empate a dois a ser alcançado pelo meio por César.

No fecho da jornada, esta segunda-feira à noite, Rio Ave foi a Arouca vencer, com alguma sorte à mistura. Os anfitriões dominaram ao encontro até à expulsão de Artur, por vermelho direto após entrada duríssima sobre Roderick.

Aos 89 minutos, após jogada de Kizito pela esquerda, Nelsinho fez autogolo e abriu o marcador para os vila-condenses. Já nos descontos, nova jogada de Kizito pela esquerda, cruzamento e 0-2: golo de Ronan.

Figura da jornada: Ederson, 23 anos (Benfica)

O guarda-redes brasileiro foi a grande barreira do Benfica na receção ao Sporting. Dono da baliza “encarnada” desde que o compatriota Julio César se lesionou na véspera da decisiva visita do Benfica a Alvalade na última época. As “águias” ganharam esse jogo (0-1) , “roubaram” a liderança ao Sporting e dispararam para o título.

Agora, no reencontro com os “leões”, a liderança voltou a estar em jogo e o guarda-redes foi o homem do jogo, parou muitas das oportunidades criadas pelo Sporting e é dele o grande mérito do triunfo que permite ao Benfica voltar a ficar a cinco pontos do arqui-rival.

Ederson chegou com 18 anos, do São Paulo, para os juniores do Benfica. Depois de duas temporadas nos séniores cedido ao Rio Ave, voltou à Luz, recomeçou pela equipa B e ganhou a baliza ao “imperador” Júlio César depois de uma decisiva estreia em Alvalade. Agora voltou a brilhar diante do Sporting e não é à toa que já tem os olhos de meia-Europa sobre si.