Última hora

Em leitura:

Venezuela encerra fronteira para combater "guerra económica"


Venezuela

Venezuela encerra fronteira para combater "guerra económica"

O presidente Nicolas Maduro prometeu e cumpriu. Fechou as fronteiras da Venezuela com o país vizinho durante 72 horas para combater o que diz ser as “máfias“que contrabandeiam a moeda local.

Ao mesmo tempo suspendeu a nota de maior valor, 100 bolívares.

O ministro do interior repete a acusação do presidente contra os Estados Unidos.

“Através de Organizações Não-Governamentais, os Estados Unidos planearam este golpe financeiro para sufocar o nosso país e criar um distúrbio geral no nosso povo através da guerra económica”, explicou.

Agora é a corrida contra o tempo para troca a nota mais usada, por ser a de maior valor, num país onde a inflação é galopante.

“É uma loucura pelo facto de um dia para o outr eles queiram retirar o papel moeda que é praticamente 80 % do dinheiro usado nas ruas”, explica um homem.

“Não é lógico. Ela devia ser retirada pouco a pouco, até porque já existe uma nova moeda que vai desvalorizar imenso esta nota. Por isso nós, o povo e os venezuelanos estamos afetados por isto”, refere outro venezuelano.

A Venezuela vive o terceiro ano consecutivo de recessão, milhões de pessoas falham refeições diariamente e têm pouca ou nenhuma assistência médica.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

EUA

EUA: Wisconsin confirma vitória de Trump sem afastar dúvidas sobre Rússia