Última hora

Última hora

Batalha por Alepo: Evacuação após cessar-fogo é adiada e regime retoma ataques

A operação deveria começar na madrugada desta quarta-feira, mas está suspensa e por enquanto sem explicação.

Em leitura:

Batalha por Alepo: Evacuação após cessar-fogo é adiada e regime retoma ataques

Tamanho do texto Aa Aa

A evacuação de civis e de feridos do leste da cidade de Alepo, no norte da Síria, foi adiada e pouco depois surgiram notícias de que as forças fiéis ao regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, teriam retomado os bombardeamentos de partes da sitiada zona leste da cidade.

Depois do cessar-fogo anunciado após um acordo entre a Turquia e o aliado mais forte do Presidente Bashar al-Assad, a Rússia, e celebrado como uma vitória pelo regime sírio, estava previsto começar na madrugada desta quarta-feira a evacuação dos últimos residentes entrincheirados no que resta da parte leste de Alepo, mas a operação foi suspensa.

Pouco depois, fontes das forças rebeldes e outras testemunhas citadas pela agência Reuters revelaram o reínicio dos ataques pelo regime sírio. “Há um bombardeamento feroz pelas forças do regime sobre a sitiada Alepo, com recurso a artilharia, tanques e morteiros”, disse um oficial de uma base turca na fação Jabha Shamiya, dando eco de informações recolhidas no terreno.

O diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, Rami Abdulrahman, afirmou tambem ter ouvido “o som de uma explosão nas áreas controladas pelas fações (rebeldes)”. “Crê-se que tenha sido causado por tiros de artilharia disparados pelas forças do regime a operar na área”, acrescentou.

Uma testemunha no local contou que o ataque terá demoradao cerca de meia hora e depois parou.

Desde Paris, em França, o Presidente do Conselho local do Leste de Alepo explicava terça-feira à noite que “o acordo (de evacuação) inclui os grupos de combatentes e os civis de Alepo”.

“A minha responsabilidade é proteger as pessoas e, por isso, encorajar esta iniciativa, mas infelizmente as garantias de que aqueles civis não sejam massacrados pelo regime são frágeis”, lamentava Brita Hagi Hasan, na capital francesa.

Pelas redes sociais, o grupo Alepo Media Center (AMC) revelava por volta da meia-noite, hora de Lisboa, o adiamento da evacuação dos civis de Alepo e já esta quarta-feira manhã dava conta de novos feridos pelos novos bombardeamentos com artilharia pesada.

(Urgente: Civis feridos por artilharia pesada na primeira violação da trégua imposta na noite passada.)

(Adiada por várias horas a evacuação do primeiro lote de feridos da cidade sitiada de Alepo.)