Última hora

Em leitura:

A onda de McNamara (23m) versus a nova maior onda registada (19m): O que as difere?


mundo

A onda de McNamara (23m) versus a nova maior onda registada (19m): O que as difere?

No início da semana surgiu a notícia de ter sido batido um novo recorde do mundo para a maior onda jamais registada, fixando o novo máximo em 19 metros. O feito veio, contudo, “chocar” com o Recorde do Mundo da Maior Onda surfada (23 metros), feito alcançado pelo surfista norte-americano Garrett McNamara na Nazaré, em Portugal, e registado pelo Guiness Book of Records, o livro dos recordes do mundo

Após contactar a Organização Mundial de Meteorologia (WMO, na sigla original), a entidade que reclamou o novo recorde, a euronews pode agora esclarecer o que difere estas duas ondas e porque é que um recorde não invalida o outro.

“Nós apenas estudamos e verificamos a altura das ondas através de boias no oceano e pela observação a partir de navios, por isso, não, as ondas costeiras não são consideradas”, explicou-nos Randall “Randy” Cerveny, investigador de meteorologia e climas extremos na WMO e professor presidente de ciências geográficas na Escola de Ciências Geográficas e Planeamento Urbano, da Universidade Estatal do Arizona, Estados Unidos.


Por este resumo podemos esclarecer desde já que a grande diferença entre a onda de McNamara na Nazaré e a nova onda recordista reclamada pela WMO é o facto de uma ser costeira e a outra ter sido registada em mar aberto, mais concretamente no oceano Atlântico Norte, entre a Islândia e o Reino Unido, às 06:00 da manhã (GMT) do dia 4 de fevereiro de 2013.

Depois há ainda o facto de a medição efetuada pela WMO ser definida como o cálculo da altura de uma “onda significante”, uma medição estatística existente para calcular por exemplo o estado do mar, e que é alcançado através do estudo de sequências de ondas numa área delimitada pela colocação das boias com sensores, resultando num género de média da altura máxima registada.


“Como meteorologista, posso sugerir que esta medição é similar à diferença entre ventos sustentados e rajadas. A onda significante mais alta seria a média de altura extrema de, digamos, 15 a 20 ondas num curto espaço de tempo”, disse-nos Randy, acrescentando que “devido à dificuldade de de medir ondas individuais ou fora de padrão, os oceanógrafos preferem esta medição por estatística.”

Randy confessa-nos, aliás, que “já houve registos de ondas individuais com uma extensão mais alta”. “Pessoalmente, a mais alta onda de que tive conhecimento teria à volta de 29 metros”, conta-nos.

Desta forma, concluímos: um recorde nada tem a ver com o outro.


O recorde do Mundo estabelecido em Portugal por Garrett McNamara foi estabelecido a 1 de novembro de 2011 e reconhecido de forma oficial em maio do ano seguinte. “A Guinness World Records pode confirmar que Garrett McNamara entrou para o livro dos recordes com a maior onda de sempre surfada”, lê-se num artigo do Guinness publicado a 9 de maio de 2012.

O organismo que reconhece os recordes do mundo, “após examinar as evidências”, comprovou que o surfista havia surfado “uma gigantesca onda de 78 pés” (23,77 metros) na Praia Norte, da Nazaré. A medição da altura foi efetuada desde o chamado “vale”, a base da onda, até à crista.


Foto no topo da página

O português Hugo Vau surfa uma das ondas gigantes da Praia Norte, da Nazaré, em Portugal. A foto foi registada a 1 de novembro de 2015, num dos muitos dias em que diversos surfistas dos quatro cantos do Mundo, especializados em ondas gigantes, procuram a praia portuguesa onde Garrett McNamara bateu, em novembro de 2011, o recorde da maior onda alguma vez surfada. Foto: REUTERS/ Rafael Marchante.



mundo

Radar... as histórias que não fizeram manchetes