This content is not available in your region

Sul-coreanos saem à rua contra e a favor da destituição da presidente

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
Sul-coreanos saem à rua contra e a favor da destituição da presidente

<p>Milhares de manifestantes, contra a destituição da presidente sul-coreana, saíram este sábado às ruas, em Seul. </p> <p>A luta pelo não afastamento de Park Geun-hye continua, depois desta se ter visto envolvida num escândalo de corrupção e de o parlamento ter aprovado, por maioria, a sua destituição. A decisão está agora nas mãos do Tribunal Constitucional. </p> <p>Para alguns dos que a apoiam a responsabilidade é dos órgãos de comunicação:</p> <p>“Os responsáveis pelo processo de destituição são os meios de comunicação que enganam as pessoas com informação falsa. A base da destituição reside nessa informação falsa veiculada pelos Media, por isso somos contra a destituição. Oferecemos rosas pela paz no país”, explica Kim U-Ghi, de 61 anos, apoiante da presidente. </p> <p>Para o advogado da presidente, que está suspensa de funções, não há base legal para a destituição.</p> <p>Mas não foram apenas os apoiantes da chefe de Estado que se manifestaram. Os que querem a sua demissão fizeram nova vigília na noite de sexta-feira: </p> <p>“A Assembleia Nacional devia ter aprovado mais cedo a destituição e o Tribunal Constitucional deve aprová-la porque esta pode ser uma oportunidade histórica para o nosso país se desenvolver”, adianta um empresário sul-coreano, Shim Jae-kyu, de 49 anos. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Supporters, opponents of embattled Park stage big rallies in Seoul <a href="https://t.co/Ubtdqk70Pd">https://t.co/Ubtdqk70Pd</a> via <a href="https://twitter.com/Reuters"><code>Reuters</a></p>&mdash; SaveSouthKorea (</code>SaveSouthKorea) <a href="https://twitter.com/SaveSouthKorea/status/810082886095347712">17 de dezembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Park Geun-hye está acusada de ligações a um esquema de extorsão, conduzido por uma amiga sua. Os investigadores querem fazer buscas ao Palácio Presidencial. </p> <p>Quem poderá ter algo a dizer, em relação à crise política na Coreia do Sul, é Ban ki-Moon. O ainda Secretário-geral das Nações Unidas já disse que poderá candidatar-se à presidência do país.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Park Geun-hye drama: once his term is over, <a href="https://twitter.com/UN"><code>UN</a> chief Ban Ki-moon hints he may run for <a href="https://twitter.com/hashtag/SouthKorea?src=hash">#SouthKorea</a>&#39;s presidency<a href="https://t.co/tZGJ5Nfv6R">https://t.co/tZGJ5Nfv6R</a> <a href="https://t.co/BeSFJzHE28">pic.twitter.com/BeSFJzHE28</a></p>&mdash; Dmitry Zaks (</code>dmitryzaksAFP) <a href="https://twitter.com/dmitryzaksAFP/status/810068587205591040">17 de dezembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>