Última hora

Em leitura:

Um ano de recordes para a Disney


review

Um ano de recordes para a Disney

Em parceria com

2016 foi o ano da Disney!

No início de dezembro, a Mouse House já se havia tornado no maior recorde de bilheteira do ano, ao gerar receitas de mais de 2,34 mil milhões de euros.

O estúdio de Hollywood, que possui as franquias Marvel, Pixar e Star Wars, poderá mesmo chegar perto dos 6,5 mil milhões de euros até ao final de 2016.

O último sucesso da Disney, “Moana: Um mar de aventuras”, garantiu o primeiro lugar de bilheteira durante três semanas consecutivas desde o seu lançamento, no “Dia de Ação de Graças”, a 24 de novembro.

Na verdade, a maioria dos filmes da Disney foram grandes êxitos em 2016.

E “Capitão América: Guerra Civil”, lançado na primavera passada, foi talvez o maior sucesso comercial.
A película arrecadou mais de 1,10 mil milhões de euros em todo o mundo.

Antes deste, era “Zootrópolis” o maior êxito da Disney. O filme ultrapassou os 962 milhões de euros na bilheteira a nível mundial.

Em “Zootrópolis” vivem apenas animais de todas as espécies e quando Judy Hopps, a otimista coelha polícia, é obrigada a trabalhar com uma raposa para resolver um caso, descobre que até os inimigos mais prováveis podem tornar-se melhores amigos.

Mas, no capítulo da animação, “À Procura de Dory” é provavelmente a principal vencedora do ano.

A tão esperada sequela do “À procura de Nemo”, vencedor de um Óscar, chegou aos grandes ecrãs em junho passado, treze anos depois do filme original, e rapidamente se tornou num sucesso. Lucrou perto de mil milhões de euros.

“À Procura de Dory” reúne o esquecido peixe-fêmea azul com os amigos Nemo e Marlin numa procura de respostas sobre o seu passado.

Outro grande vencedor da Disney foi uma nova versão, em imagem real da longa-metragem, do clássico “O Livro da Selva”.
Realizado por Jon Favreau, o filme foi inspirado na animação de 1967 da Disney.

“O Livro da Selva” lucrou mais de 908 milhões de euros a nível mundial.

Ben Kingsley dá voz à pantera negra e Lupita Nyong’o à loba mãe adotiva de Mowgli. Outras vozes incluem Scarlett Johansson e Bill Murray.

Em 2015, a Universal quebrou todos os recordes de bilheteira. Este ano, porém, teve um desempenho muito mais modesto. Apenas “A Vida Secreta dos Nossos Bichos” conseguiu entrar para o top dez de sucessos comerciais.

O filme conta a história de dois cães, num apartamento de Manhattan, que são obrigados a superar a rivalidade inicial entre ambos quando descobrem que um coelho planeia vingar-se contra os humanos.

“A Vida Secreta dos Nossos Bichos” gerou receitas de cerca de 822 milhões de euros a nível mundial.

Já a Warner Bros. obteve o seu melhor resultado com “Batman v Super-Homem: O Despertar da Justiça”, que arrecadou mais de 821 milhões de euros.

O filme, realizado por Zack Snyder, foi lançado em março passado e surge no seguimento de “Homem de Aço”.

Além deste, a Warner Bros. saiu-se bem com “Esquadrão Suicida”, que gerou lucros de mais de 700 milhões de euros, e “Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los”, mais de 630 milhões de euros.

“Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los” é o primeiro de cinco novos filmes da autora de “Harry Potter”, J.K.Rowling.
A história passa-se em 1926, quando o introvertido Newt Scamander chega a Nova Iorque com uma mala cheia de criaturas mágicas e estas escapam, ameaçando expor a comunidade de feiticeiros.

“Deadpool” é o grande vencedor da 20th Century Fox. Baseado no anti-herói da Marvel Comics, ultrapassou os 730 milhões de euros a nível mundial.

“Deadpool” conta a história de um ex-agente das Forças Especiais que adquire poderes depois de ser submetido a uma experiência clandestina. Armado com as suas novas habilidades, Wade Wilson adota o alter ego Deadpool à procura de vingança.

Com o fim de dezembro a chegar, a grande aposta da Disney vai para “Rogue One: Uma história de Star Wars”.

As expectativas não são tão altas como foram, em 2015, com “Star Wars: O Despertar da Força”, que fez mais de 2 mil milhões de euros a nível mundial, mas a Disney espera que ultrapasse o último sucesso deste ano, “Moana: Um mar de aventuras”.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

review

Quem, na sua opinião, deveria ser a Personalidade do Ano de 2016?