Última hora

Última hora

Encontrada primeira caixa negra do TU-154 despenhado em Sochi

A segunda caixa negra já foi localizada, mas ainda não recuperada. Esperam-se resultados da análise das gravações em Moscovo.

Em leitura:

Encontrada primeira caixa negra do TU-154 despenhado em Sochi

Tamanho do texto Aa Aa

As buscas pelos corpos das vítimas continuam e o resgate ao Mar Negro da primeira caixa negra do Tupolev 154 que se despenhou no Domingo dois minutos depois de ter partido de Sochi, na Rússia, já foi feito.

Enviada para Moscovo, antecedeu a segunda caixa negra, já localizada, mas ainda por recuperar, segundo o ministro russo da defesa.

Vários fragmentos do avião a pouco mais de 1500 metros da costa e a 25 metros de profundidade e mais de dez das 92 vítimas mortais – o total de passageiros a bordo – foram também já devolvidos pelo Mar Negro aos 3 500 trabalhadores de resgate envolvidos na operação.

Em Sochi e Moscovo, manifestações públicas de pesar e homenagem têm-se feito desde a queda do avião, que faria a rota entre Sochi, no sul da Rússia, e Lataquia, na Síria, com o objectivo de animar nataliciamente as tropas russas na Síria.

A agência de notícias Interfax adianta que todos os voos envolvendo o modelo Tupolev 154 foram suspensos até que o inquérito clarifique os motivos do despenhamento.

Terrorismo é uma causa afastada, segundo o ministro russo da Defesa, que adiantou que o aparelho, construído na época soviética de 1983, foi revisto em Setembro e submetido a reparações gerais em Dezembro de 2014.

Pilotos russos dizem que o modelo TU-154 tem um registo de segurança aceitável, apesar de as principais companhias de aviação russas já o terem substituído há muito tempo por aviões de fabrico ocidental.

O último grande acidente envolvendo este modelo foi em 2010: o avião de fabrico soviético e de propriedade polaca transportava o então presidente Lech Kaczinsky e muitos elementos da elite política da Polónia. Todos os elementos a bordo morreram.