This content is not available in your region

Tribunal turco ordena libertação preventiva de jornalistas

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Tribunal turco ordena libertação preventiva de jornalistas

<p>A escritora turca, Asli Erdogan, e a linguista, Necmiye Alpay, foram postas em liberdade condicional por um tribunal de Istambul, na Turquia.</p> <p>As arguidas, acusadas de serem “membros de uma organização terrorista”, foram detidas em agosto, juntamente com outros 7 jornalistas, durante uma rusga policial ao jornal onde trabalhavam, “Ozgur Gündem”. </p> <p>O diário pró-curdo acabou por ser encerrado pelo governo, por difundir, alegadamente, propaganda do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (<span class="caps">PKK</span>).</p> <p>Sezgin Tanrikulu, um deputado da principal formação da oposição, o Partido Republicano do Povo, afirmou: “Foram libertadas de uma prisão para outra: A Turquia é como uma prisão agora. O país transformou-se num presídio para intelectuais e escritores. O facto de elas terem sido libertadas traz esperança. Em 2017, espero que outros jornalistas, amigos e Ahmet Sik, que foi detido hoje, sejam libertados”.</p> <p>Esta quinta-feira, Ahmet Sik, jornalista de investigação, foi detido por causa de uma publicação na conta pessoal da rede social Twitter. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="tr" dir="ltr">Gözaltına alınıyorum. Bir twittle ilgili olarak savcılığa götürülecekmişim.</p>— ahmet şık (@sahmetsahmet) <a href="https://twitter.com/sahmetsahmet/status/814334190376419328">29 de dezembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Sik já tinha estado preso, em 2011, por ter publicado uma biografia de Fethullah Gülen, o clérigo exilado nos Estados Unidos, acusado pelo governo de ter orquestrado o golpe de Estado falhado, em julho.</p>