This content is not available in your region

OSCE confirma ataque informático de grande envergadura

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva  com AFP E LE MONDE
OSCE confirma ataque informático de grande envergadura

<p><strong>Com <span class="caps">AFP</span> e Le Monde</strong></p> <p>A <a href="http://www.osce.org/">Organização para a Segurança e Cooperação na Europa</a> (<span class="caps">OSCE</span>) afirma ter sido vítima de um ataque de <strong>pirataria informática</strong> que afetou os servidores do organismo, com sede em Viena.</p> <p>Segundo a <strong><span class="caps">OSCE</span></strong>, o ataque pôs em causa a <strong>confidencialidade</strong> de algumas das informações armazenadas nas redes informáticas internas.</p> <p>A informação foi <a href="http://www.lemonde.fr/international/article/2016/12/28/l-osce-victime-d-une-attaque-informatique_5054744_3210.html">avançada</a> pelo diário francês <a href="http://www.lemonde.fr/">Le Monde</a> e confirmada à <a href="https://www.afp.com/pt/noticias"><span class="caps">AFP</span></a> por uma das porta-vozes da <span class="caps">OSCE</span>, Mersiha Causevic Podzic. A organição ter-se-á dado conta do ataque no passado mês de novembro. <br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="fr" dir="ltr">La Russie soupçonnée d’être responsable d’un piratage sophistiqué de grande ampleur contre l’OSCE <a href="https://t.co/BnOQOtDAuF">https://t.co/BnOQOtDAuF</a></p>— Le Monde Live (@lemondelive) <a href="https://twitter.com/lemondelive/status/814048640880754693">28 de dezembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <br /> O <strong>Le Monde</strong> diz que um serviço secreto de um país ocidental atribui o ataque ao <strong>grupo de <em>hackers</em> russos</strong> <strong>APT28</strong>, conhecidos também pelos nomes <strong>Tsar Team”, *Pawn Storm</strong> ou <strong>Sofacy</strong>.</p> <p>A <strong><span class="caps">OSCE</span> não comentou a informação</strong> relativa à autoria do ataque, mas avançou que tinha sido identificado o modo através do qual este foi levado a cabo. <br /> <strong><span class="caps">OSCE</span> presente na Ucrânia</strong> <br /> A <span class="caps">OSCE</span> propõe um quadro de análise e debate nos domínios militar, económico, dos Direitos Humanos e da liberdade da informação a 57 Estados membros, incluidos Estados Unidos, Canadá, países europeus, da Ásia central e Rússia.</p> <p>A organização encontra-se presente em território ucraniano desde <strong>2014</strong>, com uma missão de observação do conflito que opõe <strong>Kiev a Moscovo</strong> com cerca de <strong>700</strong> *elementos. A <span class="caps">OSCE</span> tem servido também como local de debate e de encontro para delegações russas e ucranianas desde o início da crise. </p> <p>Os <strong>Estados Unidos</strong> acusam a Rússia de ataques informáticos, nomeadamente contra os computadores do Partido Democrata de <strong>Hillary Clinton</strong>, que terão perturbado o desenrolar da campanha eleitoral para as presidenciais do passado mês de novembro.</p> <p>A <strong>Alemanha</strong> diz que ataque semelhantes poderiam também vir a influenciar os resultados das eleições legislativas a ter lugar já no próximo ano.</p> <p>Os ataques de pirataria informática têm a capacidade de <strong>paralisar infraestruturas</strong> vitais para o funcionamento de um país, como redes de transportes e telecomunicações, centrais energéticas e bases militares.</p> <p>Um dos grandes problemas relativos à luta contra ataques de pirataria informática consiste na <strong>identificação</strong> dos seus autores, já que, muitas vezes, se tratam de grupos formados para o efeito com o patrocínio de <strong>entidades</strong> ou <strong>Estados soberanos</strong>, ainda que de forma indireta, não-oficial e camuflada.</p>