Última hora

Em leitura:

Rússia não expulsa diplomatas americanos


Rússia

Rússia não expulsa diplomatas americanos

O presidente da Rússia recusou a proposta do ministro dos Negócios Estrangeiros Serguei Lavrov. Ao contrário do que tinha pedido o chefe da diplomacia, a Rússia não vai expulsar diplomatas americanos em retaliação pelo anúncio, por parte dos Estados Unidos, da expulsão de 35 diplomatas russos.

Antes, Lavrov tinha sugerido a Putin (e anunciado publicamente essa proposta) que Moscovo iria ter uma resposta simétrica, ao expulsar o mesmo número de representantes norte-americanos.

Esta medida, uma das mais pesadas sanções americanas à Rússia desde o fim da URSS, é um castigo pela alegada pirataria informática para influenciar o resultado das presidenciais norte-americanas.

A tese, defendida pelos serviços secretos dos Estados Unidos, continua a ser negada pela Rússia e pelo presidente-eleito Donald Trump, que teria sido o grande beneficiado com esses crimes informáticos.

Um complexo no Estado do Maryland, propriedade do Estado russo, foi encerrado – a administração Obama alega que o local, oficialmente com funções recreativas, estava a ser usado para fins de espionagem.

Para já, a reação de Donald Trump é cautelosa. Continua a rejeitar as acusações e diz que vai, em breve, falar com os senadores responsáveis pelas sanções. Há dúvidas sobre se vai, ou não, reverter as medidas quando tomar posse.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Coreia do Norte

Coreia do Norte: Kim Jong-Un faz rara aparição e é acusado de 340 execuções em 5 anos