Última hora

Em leitura:

Síria: Rússia quer apoio da ONU para cessar-fogo


Síria

Síria: Rússia quer apoio da ONU para cessar-fogo

ALL VIEWS

Clique para descobrir

A Rússia apresentou, esta sexta-feira, um projeto de resolução, no Conselho de Segurança das Nações Unidas, que visa apoiar o cessar-fogo, em vigor na Síria, e as negociações de paz previstas para janeiro em Astana, no Cazaquistão.

As tréguas foram anunciadas e promovidas, na quinta-feira, pela Turquia e pela Rússia.

“Esperamos que as Nações Unidas participem plenamente nos preparativos do encontro em Astana e, se tiverem êxito, poderão passar para Genebra. Não vemos nenhuma sobreposição dos dois processos”, afirma o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin.

As autoridades de Moscovo e Ancara concordaram que seria desejável que todos os grupos da oposição mantivessem as tréguas mostrando uma vontade construtiva para a próxima ronda de conversações de paz.

O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildrim reforça que “o acordo está aberto a todos, porque este processo visa parar a luta e os assassinatos. Não acreditamos que alguém daria o seu consentimento para ver as pessoas a morrer por uma guerra sem sentido. Portanto, todos os grupos, que não estão envolvidos no terrorismo e que são a favor da paz e fraternidade, podem fazer parte deste processo, em especial as Nações Unidas, os Estados Unidos e as forças da coligação”.

O Conselho de Segurança da ONU vota o projeto de resolução, este sábado.

O principal objetivo é estabelecer negociações para se chegar a uma solução política que ponha fim ao conflito sírio, que dura há mais de cinco anos e fez mais de 500 mil mortos e cerca de 12 milhões de deslocados.

Com: Reuters; AFP

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Brasil

Polícia confessa morte do embaixador grego no Brasil