This content is not available in your region

Ataque de Istambul: Funerais de vítimas islâmicas já estão a decorrer

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
Ataque de Istambul: Funerais de vítimas islâmicas já estão a decorrer

<p>Alguns dos 39 corpos das vítimas do ataque de Ano Novo na discoteca de Istambul, na Turquia, já foram entregues às famílias e os funerais começaram logo no domingo, com um agente de turismo muçulmano, apanhado pelo atirador e que deixou mulher e dois filhos.</p> <p>Esta segunda-feira, foram a enterrar o polícia morto e o segurança da discoteca, ambos também muçulmanos e mortos pelo atirador logo à entrada do clube noturno. </p> <div style="float: none; clear: both; width: 100%; position: relative; padding-bottom: 56.25%; padding-top: 25px; height: 0;"> <iframe style="position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%;" src="https://www.youtube.com/embed/3m54mKTALYI" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> </div></p> <p>O segurança, Fatih Çakmak, tem a curiosa história de ter sobrevivido ao atentado de 10 de dezembro junto ao estádio do Besiktas, após o jogo entre a equipa do português Ricardo Quaresma e o Bursaspor, no qual morreram 45 pessoas entre polícias e civis.</p> <p>Agora, Fatih Çakmak tinha sido contratado para fazer a segurança na famosa e exclusiva discoteca Reina, em Istambul, e foi uma das primeiras vítimas do homem que invadiu aos tiros aquele clube noturno 75 minutos após a mudança de ano, no calendário gregoriano, uma data celebrada por tradição pelos cristãos.</p> <p>O segurança foi dos primeiros a ser morto pelo atirador, deixa mulher e um filho.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="tr" dir="ltr">Görgü tanıkları dehşet anlarını anlattı: ‘50 kişi bir tuvalete saklandık’ <a href="https://t.co/PjnqpBnar1">https://t.co/PjnqpBnar1</a> <a href="https://t.co/uZ1hIvmFdr">pic.twitter.com/uZ1hIvmFdr</a></p>— Hurriyet.com.tr (@Hurriyet) <a href="https://twitter.com/Hurriyet/status/815943239895224320">2 de janeiro de 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center">(Testemunhas do ataque: “50 pessoas esconderam-se na casa de banho.”)</div></p> <p>Presente no funeral de Fatih Çakmak esteve o dono da discoteca. Mehmet Koçarslan ainda está incrédulo: “Não sei como é que o atirador conseguiu entrar na discoteca apesar de toda a informação existente e de todas medidas de segurança?” </p> <p>“Só posso chamar a esta criatura um demónio. Nem sequer o posso considerar um terrorista. Não sei como é que ele conseguiu entrar na discoteca”, reforçou o dono do clube.</p> <p>Reina, um dos espaços de diversão noturna mais famosos da Turquia, situado na margem europeia do estreito do Bósforo, olhando para o lado asiático de Istambul, e onde se costumam encontrar celebridades das mais diversas áreas, incluindo futebolistas.</p> <iframe src="https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m18!1m12!1m3!1d12036.184101613891!2d29.0267527781297!3d41.04612257843893!2m3!1f0!2f0!3f0!3m2!1i1024!2i768!4f13.1!3m3!1m2!1s0x14cab7cdb83e5541%3A0xcedf3f051605b9bc!2sReina!5e0!3m2!1spt-PT!2spt!4v1483372865429" width="600" height="450" frameborder="0" style="border:0" allowfullscreen></iframe></p> <p>Nas imediações da discoteca, foi improvisado um memorial pelas vítimas do ataque. </p> <p>O processo de identificação dos 39 mortos está, entretanto, completo e inclui três pessoas com passaporte europeu: uma mulher franco-tunisina e duas vítimas partilhando a nacionalidade turca com a alemã, uma delas, e belga, a outra.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">The toll from the Istanbul attack <a href="https://t.co/BWkMsG7C5F">pic.twitter.com/BWkMsG7C5F</a></p>— <span class="caps">AFP</span> news agency (@AFP) <a href="https://twitter.com/AFP/status/815922599460864000">2 de janeiro de 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou o atentado e justificou-o como resposta à Turquia, pela proteção concedida aos cristãos, que naquela discoteca celebravam a passagem de ano. Mais uma vez, no entanto, os “jihadistas” realizaram um ataque indiscriminado e acabaram por matar também muçulmanos.</p> <p>O atirador demorou-se cerca de sete minutos no interior da discoteca, a disparar indiscriminadamente, e conseguiu fugir aproveitando o caos instalado no local. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="tr" dir="ltr">İşte Reina'daki teröristin en net görüntüsü! <a href="https://t.co/2uNWyBiU8S">https://t.co/2uNWyBiU8S</a> <a href="https://t.co/VGPNpqvbvH">pic.twitter.com/VGPNpqvbvH</a></p>— Hurriyet.com.tr (@Hurriyet) <a href="https://twitter.com/Hurriyet/status/815922867258982400">2 de janeiro de 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center">(Hurriyet: Estas são as imagens mais claras do alegado atirador.)</div></p> <p>A caça ao homem prossegue na Turquia, com as suspeitas a apontarem para um homem com cerca de 35 anos e oriundo da Ásia central, possivelmente do Quirguistão ou do Uzbequistão, mas havendo também a possibilidade, <a href="http://www.dailysabah.com/investigations/2017/01/02/istanbul-nightclub-attackers-identity-coming-to-light-as-turkish-police-deepens-probe">adianta o jornal Daily Sabah</a>, de poder ser de Xinjiang, no leste da China.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Islamic State claims New Year's Day attack in Istanbul as lone gunman remains at large: <a href="https://t.co/tSHqYSFAyO">https://t.co/tSHqYSFAyO</a> <a href="https://t.co/bRn6THhk2p">pic.twitter.com/bRn6THhk2p</a></p>— Reuters Top News (@Reuters) <a href="https://twitter.com/Reuters/status/815931186405117952">2 de janeiro de 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <div style="float: none; clear: both; width: 100%; position: relative; padding-bottom: 56.25%; padding-top: 25px; height: 0;"> <iframe style="position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%;" src="https://www.youtube.com/embed/HyZk5SLXJ_w" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> </div></p>