Última hora

Última hora

Diplomatas russos expulsos dos Estados Unidos já regressaram a Moscovo

Os diplomatas russos expulsos dos Estados Unidos já estão de regresso a Moscovo depois de terem saído de Washington este domingo.

Em leitura:

Diplomatas russos expulsos dos Estados Unidos já regressaram a Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Os diplomatas russos expulsos dos Estados Unidos já estão de regresso a Moscovo depois de terem saído de Washington este domingo. Os 35 diplomatas foram acompanhados pelas famílias. Esta expulsão acontece três dias depois do anúncio das sanções pelo Presidente norte-americano, e na sequência de uma notícia do “Washington Post”, sobre alegados piratas informáticos ligados ao Governo russo que acederam à rede elétrica dos Estados Unidos.

Este é um caso que está a dividir mesmo os Republicanos. O senador do partido conservador, John McCain garantiu que “os EUA vão trabalhar para endurecer as sanções contra a Rússia. Atacaram os Estados Unidos. Esta ação foi um ataque e devemos tratá-la como tal. Devemos aplicar as sanções a instituições financeiras e outros setores da economia russa”.

Estas declarações do senador republicano John McCain contrastam com a posição do presidente eleito Donald Trump, que continua a mostrar-se muito céptico quanto a este caso. “Preciso ter a certeza, porque são acusações muito sérias. Se olharmos para o caso das armas de destruição massiva, foi um desastre e estavam errados. E seria injusto se estivessem errados”, afirmou Trump à entrada para a festa de Passagem de Ano, em Palm Beach, nos Estados Unidos.

Recorde-se que o ainda presidente Barack Obama afirmou que os diplomatas eram na verdade agentes dos serviços secretos e alegadamente terão interferido com sites políticos durante a campanha para as eleições presidenciais.

Obama também decretou o encerramento de duas instalações russas em Maryland e em Nova Iorque.
Já o Presidente russo, Vladimir Putin, recusou responder da mesma forma e na sexta-feira garantiu que não vai expulsar 35 diplomatas americanos. Putin afirmou que vai aguardar pela política de Donald Trump antes de decidir os próximos passos na relação com a administração norte-americana.