Última hora

Em leitura:

Reunificação de Chipre: Cipriotas turcos e cipriotas gregos trocam mapas em Genebra


mundo

Reunificação de Chipre: Cipriotas turcos e cipriotas gregos trocam mapas em Genebra

O terceiro e último de negociações diretas entre cipriotas gregos e cipriotas turcos sobre a reunificação de Chipre terminou, em Genebra, na Suíça, com otimismo relativo depois de as duas partes em conflito terem trocado mapas com as respetivas exigências territoriais. Foi a primeira vez que tal avanço foi alcançado em mais de 40 anos de divisão da ilha.

De acordo com as informações transpiradas após a troca de mapas desta quarta-feira, os cipriotas gregos, liderados pelo Presidente da República de Chipre, Nicos Anastasiades, admitem deixar 28,2 por cento da ilha na posse dos cipriotas turcos. A proposta dos cipriotas turcos, liderados pelo Presidente da República Turca de Chipre do Norte, Mustafá Akinci, exige 29,2 por cento.

Ambos os mapas apresentados e guardados num cofre da ONU para nova apreciação e discussão terão inerente uma federação soberana de dois estados, com limites administrativos e uma só personalidade internacional.

Para o conselheiro especial das Nações Unidas para o conflito no Chipre “esta é a melhor altura” (para se chegar a acordo).

“Não vejo nada que sugira uma melhor ocasião se esperarmos mais quatro ou oito meses ou mais dois ou quatro anos ou nem mesmo mais 42 anos como já se fez antes. Não existe nada em termos internacionais a sugerir que o mundo esteja a ficar, digamos, mais construtivo ou que as pessoas estejam mais próximas ou que os problemas sejam mais facilmente ultrapassáveis nem que a liderança mundial venha a ser mais favorável”, avisou o norueguês Espen Barth Eide.

A ilha de Chipre está dividida desde 1974, quando uma invasão militar turca respondeu a um golpe de Estado falhado pela junta militar no poder em Atenas. A ilha foi partida ao meio, com os cipriotas turcas a controlarem 36,2 por cento do território.

Cerca de 150 mil cipriotas gregos fugiram da zona reclamada pelos cipriotas turcos e cerca de 45 mil cipriotas turcas que residiam no sul da ilha também fugiram para norte. A parte grega da ilha pede a devolução de uma parte do território que pertencia a 100.000 cipriotas gregos desapropriados e expulsos.

O Presidente do Chipre pede ainda a devolução ao lado grego da cidade de Morfú, tal como estará incluído no mapa apresentado esta quarta-feira em Genebra. De acordo com o porta-voz de Nicos Anastasiades, o mapa proposto pelos cipriotas turcos revela aspetos “insatisfatórios” , noticia o jornal Cyprus Mail.

Para a enviada especial da euronews a Genebra, Efi Koutsokosta, “as conversas entre as duas partes, em relação à política interna, terminaram esta quarta-feira com uma histórica troca de mapas para resolver a questão territorial”. “É a primeira vez que tal acontece. Até agora, a convergência limita-se a alguns pontos como a questão constitucional da governação. No entanto, nenhum dos lados se mostra otimista numa solução final já nesta fase”, revela-nos a nossa jornalista afeta à equipa grega.

Esta quinta-feira, a ONU em Genebra é ainda palco de uma conferência internacional entre cipriotas gregos e cipriotas turcos com a presença de delegações da Grécia, da Turquia e do Reino Unido, que mantém na ilha cipriota bases navais e ajuda a manter a estabilidade e a paz no território.